11 agosto 2021

Prefeito em exercício de Mendonça tomou vacina contra a covid nesta quarta-feira

 

Prefeito em exercício Hericson Lino tomou a vacina da Pfizer nesta quarta-feira (11)

O prefeito em exercício de Mendonça, Hericson de Carvalho Lino (PP), deu hoje o exemplo: tomou a vacina contra a covid-19. Ele que tem 31 anos de idade -- e é um dos mais jovem a assumir o cargo – disse que fez questão de esperar sua vez na ordem cronológica de idade do programa nacional de imunização.

O prefeito explicou também que embora a vacinação para as pessoas da sua faixa etária já tem ocorrida há mais de duas semanas ele teve ainda que, por recomendações médicas, aguardar mais 30 dias pelo fato de ter também contraído a doença. “Como pessoa e também pelo cargo que exercemos hoje temos que dar o exemplo à população”, enfatizou, esclarecendo que não “furou fila” e que nem perguntou qual vacina estaria disponivel no posto de saúde onde compareceu para tomar a sua primeira dose do imunizante.

Por sorte, a vacina disponível e aplicada no prefeito em exercício nesta quarta-feira (11) foi a Pfizer. Uma única dose da vacina da Pfizer pode ser suficiente para quem já teve covid-19.

Estudos científicos

De acordo com a revista Medical Xpress, cientistas da Rush University Medical Center, de Chicago, realizaram importante análise que comprovaram que níveis mais elevados de anticorpos em pessoas previamente infectadas após uma dose da vacina Pfizer. Essa vacina, segundo os estudos, comprovou-se até mais eficaz, em comparação com indivíduos que tomaram as duas doses de outras vacinas.

O estudo observou o resultado em 29 voluntários com casos de infecção anterior da covid-19 e com outras 30 pessoas sem esse histórico. Após testes de PCR, a vacina no primeiro grupo se mostrou mais eficaz. Já para os indivíduos que nunca foram contaminados pelo vírus, duas doses de vacina são definitivamente necessárias para atingir um bom nível de anticorpos protetores.

Com uma dose, os anticorpos desse grupo, não infectado antes pelo vírus, atingiram em média pouco mais de 1.800 u/ml, em amostras de sangue. Após a segunda dose, esse número saltou para mais de 15.000 u/ml.

 

De acordo com os cientistas as pessoas que já desenvolveram a doença e se recuperaram podem estar suficientemente protegidas contra a reinfecção após uma única dose de vacina da Pfizer. Tal evidência, dizem os cientistas, indica ser possível liberar a disponibilidade de milhões de doses adicionais para as pessoas que ainda não desenvolveram o quadro, o que iria acelerar a vacinação em muitos lugares.

Os pesquisadores reforçam, no entanto, que a infecção previa, por si só, não oferece defesa considerável contra a covid-19 como alguns contra-vacinas defendem. Isso significa que as vacinas continuam sendo necessárias.

Vacina da Pfizer é considerada uma das mais eficientes para quem já teve covid

Prefeito exibe, ao lado de servidoras do Posto de Saúde, o comprovante de vacinação contra a covid-19





0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››