28 agosto 2021

Maior produtora de Bíblias do mundo está no Brasil


A cada três segundos é produzida uma Bíblia na maior gráfica de produção do livro sagrado do mundo, que fica na cidade de Barueri

 

Poucas pessoas sabem e talvez até mesmo os brasileiros desconhecem que o livro mais traduzido, mais lido e distribuído no mundo, a Bíblia, é produzido em terras tupiniquins. Numa área de cerca de 6 mil metros quadrados, equivalentes a pelo menos quatro quarteirões, no bairro Tamboré, em Barueri, região metropolitana de São Paulo, fica localizada a gráfica da Sociedade Bíblica do Brasil (SSB). Ali tudo é grande e com números impressionantes.

A cada 3 segundos, um exemplar da Bíblia é produzido pela gráfica da Bíblia da SBB. Com capacidade para produzir cerca de 10,5 milhões de publicações por ano a gráfica, mesmo com esse período de pandemia, não parou as atividades, para poder atender as demandas internas e as exportações para mais de 100 países das Américas, África, Ásia e Europa, em 30 idiomas.

O reverendo Assir Pereira, presidente da SBB e que por mais de 20 anos esteve como principal dirigente nacional da Igreja Presbiteriana Independente (IPI), ressalta o fato de Deus ter preservado a vida de todos funcionários, colaboradores e voluntários da instituição durante a pandemia do coronavirus. “Nenhuma vida foi ceifada por esse ‘bichinho’ do vírus”, comemorou. “A nossa gráfica da Bíblia não parou de funcionar. Nossas máquinas continuaram trabalhando durante três turnos (manhã, tarde e noite) e mesmo assim quase não estamos dando conta de atender a tantos pedidos que vem do mundo todo”.

Em 2020 foram usadas 800 bobinas de papel especial importado para a impressão de mais de 5 milhões de Bíblias na gráfica da SBB

Bobinas utilizadas dariam para dar 8 voltas na Terra

Para se ter ideia do volume de produção de Bíblias, a gráfica utiliza por mês cerca de 800 bobinas de papel importado de altíssima qualidade que, se desenroladas, equivalem a 24 mil quilômetros. O papel consumido em um ano seria suficiente para dar pelo menos oito voltas ao redor do planeta.

Gilvan dos Santos Lima, coordenador de desenvolvimento industrial da gráfica, assegura que o papel utilizado na confecção das bíblias é testado para ser manuseado por várias mãos e ter durabilidade de pelo menos 15 anos. No dia em que a reportagem da Folha do Povo esteve visitando as instalações, a gráfica produzia exemplares da bíblia em grego, inglês e espanhol, além, é claro, de vasta quantidade de exemplares, em diferentes formatos na língua portuguesa.

 

O coordenador de desenvolvimento institucional, pastor Gilvan dos Santos Lima, recebeu a reportagem da Folha do Povo para mostrar todo processo de produção de Bíblias na gráfica da SBB

Exemplar da Bíblia traduzido para o idioma coreano

Douração

Pintor realiza o trabalho de "douração" das laterais da Bíblia


O laminado na cor dourada valoriza o Livro Sagrado

A Bíblia por ser considerada um livro sagrado e importante para o mundo cristão tem que ter para muitas pessoas características sagradas e com fios de ouro. Para dar essa aparência reluzente nas bordas e laterais, após ser impresso e refilado o livro sagrado passa por um processo todo especial, que consiste na pintura a pó com uma espécie purpurina dourada.

Todo o processo de impressão é feito de forma automatizado por potentes máquinas rotativas, que trabalham numa velocidade impressionante. Em geral cada Bíblia sai nas esteiras com 18 a 24 cadernos, todos eletronicamente costurados para garantir a durabilidade de cada exemplar.

Para as Bíblias de luxo, com capas trabalhadas em couro ou materiais semelhantes, onde são prensadas frases relativas ao produto, funciona na gráfica o setor das costureiras. São elas, as costureiras, que fazem o trabalho de forma artesanal, com muito cuidado e carinho. Tudo sempre com a supervisão de rigoroso processo de controle da qualidade, que vai do começo ao fim, quando o produto é embalado, protegido por película plástica e acondicionado em paletes para ser transportado para fora.

 

Todo processo de produção é automatizado, mas mesmo assim exige mão-de-obra qualificada de mais de 200 funcionários

SBB

Desde a sua fundação em 1948, a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) dedica-se a “semear a palavra que transforma vidas”. Sem fins lucrativos, a SBB além de imprimir Bíblias atua como organização beneficente de assistência social.

A instituição é mantida por igrejas evangélicas de várias denominações e sobrevive de doações de pessoas do mundo inteiro, além da venda de seus produtos, tais como bíblias de estudo e materiais para evangelização. Dali saem exemplares da Bíblia em mais de 30 idiomas, tais como português, francês, inglês, espanhol, árabe, alemão, grego, italiano, em tupi guarani e até em ioruba, idioma falado em países africanos.

A gráfica da SBB, inaugurada em 1995, desenvolve produtos personalizados, como livretos para todas as ocasiões e necessidades tendo sempre o objetivo comum de estimular o contato com o conteúdo bíblico e a sua leitura. Tornar a Bíblia acessível a todos os segmentos da população faz parte da missão da SBB.

Mais de 176 milhões de Bíblias e Novos Testamentos foram produzidos desde a fundação da gráfica. “A palavra de Deus continua sendo a bússola que mostra o caminho a ser seguido e a fonte mais confiável de esperança para dias melhores”, afirma o diretor executivo da SBB, reverendo Erni Walter Seibert, catarinense de Concórdia, descendente de alemães e ligado à Igreja Luterana. “Amar o próximo e servir aos que necessitam são alguns dos ensinamentos contidos na Bíblia Sagrada”.

A maioria dos exemplares produzidos pela entidade se destina a evangélicos. Mas ela imprime Bíblia também para os católicos, a ponto de o Vaticano ter encomendado, cinco anos atrás, uma bíblia especial, que só os bispos e o Papa receberam.

Todos os dias são produzidas toneladas e toneladas de Bíblias


Números são impressionantes

Parte da gráfica vista de cima em plena produção


Em 2020, devido à pandemia e ao isolamento social, a produção e distribuição de Bíblias foi menor do que no ano interior. Mas, mesmo assim, os números da gráfica da Bíblia são impressionantes. Foram mais de 5,2 milhões de Bíblias, 152 mil Novos Testamentos, 104,7 milhões de folhetos propaganda a leitura dos livros sagrados e mais de 790 mil livretos infantis voltados para os ensinamentos bíblicos. Foram investidos R$ 76,2 milhões em 2020.

Outros números importantes para que a SBB atingisse, no ano passado, patamares altíssimos na disseminação da palavra de Deus são os downloads das traduções, em aplicativos para quem deseja ler a Bíblia pelo celular. Mais de 2,4 milhões foram baixados pela internet e, em sua maioria, de forma gratuita. Até o fechamento desta matéria, mais 3,7 milhões do aplicativo da SBB tinham sido baixados por internautas em seus celulares. Aponte a câmera do seu celular para o QR Code abaixo e baixe o aplicativo da SBB.

Tudo é feito dentro de um rigoroso sistema de qualidade


 Troféus das equipes 

Na fábrica de Bíblicas a preocupação é grande com todos os detalhes


A gráfica da Bíblia emprega cerca 200 funcionários que dispõe de restaurante interno, nutricionista, assistência médica e odontológica. Chama a atenção em um espaço de destaque dentro da instituição a quantidade de troféus, expostos numa vistosa vitrine.

Os troféus foram conquistas dos times de futebol de campo e salão dos funcionários da SBB. Alguns são de campeões. Mas a maioria dos troféus é da equipe mais disciplinada em todos os campeonatos. “Nossa ‘turminha’ pode não ser tão boa de bola, mas é a mais disciplinada em todos os campeonatos”, brinca o pastor Gilvan Lima, acrescentando que os jogadores não xingam e nem brigam.

 

A gráfica da SBB produz Bíblias de todas as cores e para todos os gostos

História da Bíblia

Costureiras trabalham no acabamento para a produção das Bíblias
 

Ao longo dos séculos a Bíblia já foi chamada de várias maneiras, tais como livro ou escritura sagrada, livro divino ou santo. A origem da palavra Bíblia vem do grego “bible”, que significa conjunto de livros, e daí vem também o termo biblioteca.

A Bíblia é a Palavra de Deus e foi escrita por várias pessoas. Contem livros de diferentes gêneros literários, cartas, testemunhos, cânticos, salmos, sermões, poemas e provérbios. E foi escrita originalmente em três línguas: hebraico, aramaico e grego.

Em 1804 nascia a primeira Sociedade Bíblica no mundo. Tudo começou por causa do sonho de uma menina. Ela se chamava Mary Jones e queria muito ler uma Bíblia. Mas ela teve que esperar seis anos para conseguir seu exemplar. Isso porque os livros, além de raros, eram caríssimos.

Essa história aconteceu há mais de 200 anos no país de Gales. E foi por causa dessa menina que surgiu a Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira para distribuir a Bíblia para todos.

Quando a Bíblia foi traduzida pelas primeiras Sociedades Bíblicas para a América Latina, um dos seus primeiros usos foi na alfabetização dos povos. Quando a Bíblia Sagrada chegou a algumas culturas que não davam assistências aos seus enfermos e os abandonavam à mercê de sua própria sorte, sem cuidado algum, os que seguiam princípios bíblicos, além de passarem a cuidar dos enfermos, tentavam mostrar as vantagens sociais dessa prática, que transformava vidas.

 

A gráfica não fica parada: trabalha diuturnamente em três turnos para 
 atender a encomendas que chegam de várias partes do mundo

Nova diretoria

O ex-deputado estadual e também pastor Vaz de Lima, Erni Walter Seibert e Assir Pereira, durante a 23ª Assembleia da SBB

 

Gilvan Lima mostra exemplar da Bíblia traduzido para o grego


Durante a 23ª Assembleia Geral da SBB, realizada de forma hibrida, foi apresentado o balanço das atividades e traçado os planos de trabalhos para os próximos anos, além de ter sido eleito os membros do novo Conselho Deliberativo da instituição.

O reverendo Assir Pereira, após quase duas décadas a frente da presidência do Conselho, deixará a função, mas foi aclamado como presidente de honra da instituição. Em seu lugar assume o pastor Esequias Soares da Silva, da Igreja Assembleia de Deus de Jundiaí. Como primeiro e segundo vice- presidentes foram eleitos, respectivamente, Paulo Lutero de Melo e Silva da Igreja Brasil para Cristo de São Paulo e Paschoal Piragine Junior, da Igreja Batista de Curitiba.

Também fazem parte do Conselho Deliberativo o ex-ministro de Agricultura e Abastecimento do governo Collor, Antônio Cabrera Mano Filho, e os deputados estaduais Waldir Agnello e José Carlos Vaz de Lima.

Assir Pereira foi homenageado, durante evento realizado na Câmara de Barueri, com um cartão de prata pela sua dedicação à SBB. Ao receber a homenagem, Assir afirmou: “nunca fiz nada; foi Deus que fez por mim”. E ele dedicou a homenagem, fazendo uma verdadeira declaração de amor à espoa Dayse. “Quem merece essa homenagem é a minha querida esposa Dayse, que vem me acompanhado há 52 anos. Foi Deus que a escolheu para estar ao meu lado”.

A jornalista Damaris, uma das assessoras de comunicação da SBB, recepcionou a equipe da Folha do Povo no restaurante da gráfica da SBB


 Prefeita quer gráfica em Valinhos


Prefeita de Valinhos, capitã Lucimara (ao centro segurando exemplar da Bíblia) junto com vereadores e com o presidente da SBB, Assir Pereira

A prefeita de Valinhos capitã Lucimara Godoy Vilas Boas (PSD), acompanhada do presidente da Câmara, vereador Franklin Duarte de Lima (PSDB), juntamente com o vereador Fábio Damasceno Republicanos), esteve no mês de junho visitando e conhecendo as instalações da gráfica da SBB. Sabedora de que a SBB é a maior produtora mundial de Bíblias, a prefeita foi propor e oferecer área de mais de 6 mil metros para a instituição instalar uma nova unidade gráfica.

A prefeita estima que se a nova gráfica da SBB for instalada em Valinhos serão gerados de imediato mais de 300 empregos diretos.

 

O Museu da Bíblia em Barueri é uma parceria entre a prefeitura e a SBB

Bíblia na bandeira

 Bandeira e brasão da República Dominicana



A República Dominicana é o único país do mundo que tem uma Bíblia desenhada em sua bandeira nacional. Na verdade, o desenho da Bíblica está inserido bem no centro do brasão de armas do país, que, por sua vez, fica localizado no centro da bandeira da República Dominicana.

As três cores da bandeira são o azul, vermelho e o branco. O vermelho representa o sangue derramado pelos patriotas nas batalhas pela independência. O azul representa o céu que cobre todo o país e que Deus o abençoa.  E o branco representa a paz e a unidade entre todos os dominicanos.

 O brasão detém as cores da bandeira, apoiado por um ramo de loureiro e de palma. Acima do escudo, uma fita azul mostra o lema nacional: “Dios, Pátria, Libertad” (em português: Deus, Pátria, Liberdade). Abaixo do escudo, as palavras República Dominicana aparecem numa fita vermelha. E no centro do escudo, ladeado por três lanças de cada lado está a Bíblia Sagrada com uma pequena cruz dourada por cima.

O artigo 32 da constituição do país determina que a Bíblia esteja aberta ao livro do Novo Testamento, em João 8:32, onde se lê: “conocerán la verdade y la verdade los hará libres”, tradução literal de “se conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”.

Brasão aparece no centro da bandeira e está presente em todos os documentos oficiais emitidos pelo Estado. Também está na parte frontal as agências públicas, tribunais, escritórios governamentais, fortalezas, destacamentos e outras unidades do governo.

Fotos mostram a "fábrica da Bíblia"

Confira abaixo mais fotos da maior indústria gráfica do mundo, especializada na produção de Bíblias. As fotos são do jornalista Nelson Gonçalves, do jornal Folha do Povo:


Parte da gráfica da Bíblia da SBB observada por um ângulo superior

Tudo é automatizado para dar agilidade na produção das Bíblias

Esteiras por onde passam milhares e milhares de Bíblias todos os dias

O estoque de chapas de alumínio para impressão e de filmes para a confecção do fotolito é grandioso

Antes de serem embaladas cada Bíblia é inspecionada manualmente pelo controle de qualidade da gráfica da SBB

As bobinas de papel usadas durante um ano, se esticadas dariam para dar oito voltas ao redor da Terra 

O estoque de materiais usados na produção é muito grande


As capas de diversos modelos de Bíblias são extremamente trabalhadas

É impressionante a quantidade do estoque de materiais para a produção

O fino acabamento nas Bíblias da SBB é idêntico para todos os países

Conforme vão sendo impressos as brochuras que comporão a Bíblia, elas ficam aguardando a finalização dos demais blocos para serem encadernadas

A maior parte do maquinário é toda computadorizada, que controla o chamado "casamento" das páginas e dos cadernos de forma automática

A movimentação interna dos paletes é tão intensa que todo o piso é demarcado com a sinalização para não ocorrer choques entre os carrinhos

As guilhotinas que realizam os refiles pós-impressão trabalha com precisão milimétrica e são todas computadorizadas

Todas Bíblias antes de serem embaladas passam por rigoroso processo de controle de qualidade. Qualquer risquinho na capa de alguma unidade ela é descartada

Todo descarte de papel, tinta e de outros materiais são ecologicamente descartados pela gráfica da Bíblia para preservação do meio ambiente

Dentro da sede da SBB, onde fica localizada a gráfica da Bíblia, há também uma preocupação com o meio ambiente e com o paisagismo

Bíblias prontas aguardam a chegada dos caminhões para levarem para o Centro de Distribuição, de onde são despachadas para mais de 100 países

Os corredores na fábrica da Bíblia são amplos, arejados e sempre preocupados com a beleza do local, que devido a tantos jardins e flores parece o paraíso terrestre

Parte da produção encomendada por uma igreja com caixas contendo, cada uma 50 unidades de Bíblias, prontas para serem despachadas

Bíblias de todos os tamanhos e modelos são impressas diariamente pela gráfica da Sociedade Bíblica do Brasil (SSB) para mais de 100 países

A quantidade de impressão na fábrica da Bíblia da SBB ultrapassa a tiragem dos maiores jornais brasileiros

São várias máquinas, todas de última geração, que realizam o processo de revelação de fotolitos e gravação de chapas de alumínio para a impressão

Em média, dependendo do tamanho e formato, cada chapa de alumínio usada pelas rotativas comporta 57 páginas da Bíblia

Na parte superior de um dos blocos da sede da SBB funcionam os departamentos de tradução, de finalização de arte-final e financeiro

Troféus conquistados pelas disciplinadas equipes de futebol da SBB nos campeonatos regionais. 

As máquinas rotativas trabalham numa velocidade impressionante para imprimir as Bíblias em alta escala de produção




















0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››