10 agosto 2021

Em meio ao caos da quarentena muitos casais se viram em uma situação complicada: o confinamento

A quarentena foi palco para diversos desfechos amorosos: muitos casamentos acabaram, pessoas mudaram e sites de relacionamento cresceram, o que resultou em muitos casais "formados pela pandemia".


Obrigados a ficarem em casa, sem espaço, privacidade, eventualmente com crianças, cachorro, papagaio, muitas vezes transformando o mesmo local em home office, academia e por aí vai, a convivência do casal aumentou exponencialmente.

 Isso resultou em casais que estão saindo da quarentena mais fortes e outros que se divorciaram, conforme a pesquisa do Colégio Notarial do Brasil (CNB), a qual aponta que em 2020 houve um aumento de mais de 16% no número de divórcios, alcançando um recorde no segundo semestre.

 Entre os muitos depoimentos coletados, o principal motivo do divórcio era de que a quarentena deu a oportunidade de reverem seus casamentos e relacionamentos, os fazendo perceber que seus projetos e objetivos de vida eram diferentes.

 Sendo assim, muitos apostaram em sites e aplicativos de relacionamento, até porque a quarentena continua, e encontrar sua cara-metade usando máscara e faceshield não era exatamente o que estavam procurando, além de todas as dificuldades que esse período impôs para os encontros “ao vivo”.

 Então, optaram pelos relacionamentos online e eventualmente até a distância, mas, é claro, na segurança do seu lar. 

A hora do encontro

Para saber mais sobre o contexto na prática, entrevistamos usuários de uma plataforma de relacionamento online e que conheceram o amor nesta pandemia: Cláudio, 43 anos, morador do Rio de Janeiro, e Cezar, 51 anos, de São Paulo, ambos usuários da plataforma Meu Patrocínio.

 Inclusive, Cláudio descobriu a plataforma através de um podcast no Youtube. “Vi a apresentadora falando sobre um site para homens bem-sucedidos e mulheres lindas, elegantes e inteligentes, por isso, achei que era o melhor lugar para encontrar alguém que tivesse a ver comigo”, conta. 

Já Cezar obteve a ajuda de seu filho Renan, de 24 anos, que conheceu a plataforma por meio de redes sociais. Segundo ele, “Meu filho fez o perfil pra mim e me ensinou como usar a plataforma. Até me explicou sobre o que o site se tratava e que eu seria um Sugar Daddy. Então, comecei a conversar com algumas meninas do site e depois de algumas semanas achei a Sugar Baby da minha vida”, diz, com um largo sorriso no rosto.

Em depoimento para o site, Cláudio, o Daddy carioca, diz “Encontrei finalmente a mulher que muito me identifiquei e teremos um relacionamento. Muito obrigado por me proporcionar a oportunidade de encontrá-la”.

 Uma relação cada vez mais comum

Com o ritmo estável das vacinas no País, o site segue com um aumento valoroso no número de cadastros, mostrando que mais do que nunca, todos estão preparados para conhecer alguém e, finalmente, poder levar um relacionamento “mais normal”.

E o Relacionamento Sugar tem ganhado ainda mais espaço nos meios de comunicação, onde influencers se dizem interessadas em serem Sugar Babies em suas redes sociais, e novelas mostram casais de Sugar Baby e Sugar Daddy de forma natural, como a Maria Ísis e o Comendador José Alfredo, personagens de Marina Ruy Barbosa e Alexandre Nero na reprise do folhetim Império, na faixa nobre das 21 horas da Rede Globo.

Caio Bittencourt, Diretor de Comunicação do MeuPatrocínio, ressalta que esse tipo de casal “açúcar” é mais comum do que parece.

“Um relacionamento Sugar é algo que já existe no Brasil faz tempo, onde homens mais maduros são os responsáveis pelas finanças. Esse conceito de relacionamento trazido dos Estados Unidos se adaptou muito bem aqui no Brasil, onde mulheres jovens estão cansadas de relacionamentos com homens imaturos, que não podem oferecer nenhuma segurança e estabilidade. Por isso, elas procuram homens mais velhos, de 35 a 45 anos, já maduros e bem resolvidos financeiramente, para que possam aproveitar viagens, novas experiências em um relacionamento transparente e sem joguinhos bobos. Mas é importante destacar, tudo é acordado e conversado entre as partes, e caso sua Sugar Baby precise de ajuda financeira, como em qualquer relacionamento onde uma parte é mais financeiramente confortável que outra, ele vai ajudar”, aponta.

Mas segue a indagação: na quarentena você se casou ou se separou? Ou fez os dois? A resposta certa é que nunca é tarde para encontrar alguém que busca os mesmos sonhos que os seus! 


0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››