18 agosto 2021

Dom Tomé renuncia ao cargo, após escândalo de vídeo viralizado

 

 

Bispo dom Tomé renuncia ao cargo na Diocese de São José do Rio Preto

O bispo diocesano de São José do Rio Preto, dom Tomé Ferreira da Silva renunciou ao cargo após o escândalo provocado por vídeo em que ele aparece acariciando seus órgãos genitais enquanto uma pessoa acompanhava do outro lado da tela. As imagens foram gravadas e viralizou pelas redes sociais.

A carta-renúncia foi aceita pelo Papa Francisco. A informação oficial consta no site da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Dom Moacir Silva. Arcebispo de Ribeirão Preto, assume interinamente como administrador da Diocese de Rio Preto.

A relação de Dom Tomé com parte da Igreja Católica de Rio Preto foi tensa desde quando ele assumiu, em 2012, a Diocese e estabeleceu uma série de mudanças. Entre elas ele praticamente extinguiu o jornal bimensal “Hoje em Dia”, idealizado pelo hoje cardeal dom Orani Tempesta nos anos 90 quando esteve à frente da diocese rio-pretense.

Logo no início de sua gestão como bispo também foi acusado de ter tido relações consideradas como amorosas com um motorista. Segundo a reportagem da Folha do Povo apurou, ao renunciar dom Tomé, com 60 anos de idade completados neste ano, mantém título e salário. Funciona como se fosse uma aposentadoria compulsória. Caso não renunciasse, ficaria sujeito a investigação pelo Vaticano e poderia ser demitido, sem direito a nenhuma prerrogativa.

 Trajetória

 Dom Tomé, assim como seu antecessor, dom Paulo Mendes Peixoto, é mineiro de nascimento. Era o quinto bispo a assumir a diocese, desde quando ela foi criada em 1929. Ele ingressou no seminário diocesano Nossa Senhora das Dores em Campanha, sua terra natal, em 1975. Graduou-se em Filosofia na cidade de Três Corações e em Teologia, em Taubaté. Também concluiu os cursos de História, pela Universidade Vale do Rio Verde, e é mestre em Filosofia pela Pontifícia Universidade Gregoriana (PUG) de Roma.

Foi ordenado padre em janeiro de 1987 pelo bispo dom Tarcísio Ariovaldo Amaral. Serviu como pároco nas cidades de Boa Esperança, Heliodora, Nafércia e Três Corações. Também foi reitor do Seminário Nossa Senhora das Dores e professor de filosofia no Seminário Arquidiocesano Nossa Auxiliadora, em Pouso Alegre.

Em 2005, dom Tomé foi nomeado bispo pelo Papa João Paulo 2º. Atuou como bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo, auxiliando como administrador da Cúria Metropolitana. Foi bispo da região episcopal do bairro Ipiranga. E foi nomeado em 2012, pelo Papa Bento 16, como bispo para a diocese de São José do Rio Preto.

Repercussão

O vídeo viralizado pelas redes sociais do bispo praticando atos libidinosos condenado pela Igreja Católica se tornou motivo de piadas por vários grupos de Whatsapp. Um dos últimos atos de dom Tomé como bispo foi ter recebido no Palácio Episcopal o pré-candidato ao Governo do Estado pelo PSOL, Guilherme Boulos. Acompanharam a visita os vereadores João Paulo Rillo (PSOL) e Renato Pupo (PSDB).

Políticos ligados à Igreja Católica evitaram comentar o episódio e a saída do bispo. O presidente da Câmara Municipal de Rio Preto, vereador Pedro Roberto Gomes (Patriota), bastante ligado aos movimentos católicos, disse em entrevista ao jornal Diário da Região que o problema era assunto da Igreja e que ele não iria comentar.

“Não entro na vida pessoal de ninguém”, se limitou a dizer o vereador Renato Pupo, que esteve com o bispo em seu último ato público: a visita de Guilherme Boulos.  

Dom Tomé pede para sair, após vídeo em que ele aparece acariciando órgão sexual


0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››