08 julho 2021

Pandemia agravou o descuido das pessoas com a saúde dos olhos

 

No Dia Mundial da Saúde Ocular, oftalmologista do Austa Hospital lembra da importância da prevenção de doenças que podem levar à cegueira

O próximo sábado, 10 de julho, é o Dia Mundial da Saúde Ocular, data que tem o objetivo alertar para a importância da prevenção e diagnóstico de doenças dos olhos que, se não tratadas, podem levar à perda da visão. E, com a pandemia, este descuido infelizmente ampliou-se.  Levantamento do Datasus mostra que, de 2019 para 2020, o número de cirurgias de catarata no Brasil caiu 38%, passando respectivamente de 576 mil para 357,8 mil operações no ano.

E a catarata é uma das principais doenças oculares que incidem sobre os brasileiros, ao lado do glaucoma, da degeneração macular relacionada à idade (DMRI) e da retinopatia diabética, segundo o Ministério da Saúde. Já entre as crianças, as principais causas de problema ou até perda da visão infecções congênitas, catarata congênita, retinopatia da prematuridade e glaucoma congênito.

Cerca de 50 milhões de brasileiros sofrem algum tipo de distúrbio da visão, informa a Organização Mundial de Saúde. Destes, 30 milhões convivem com deficiência visual ou são cegos.

Somente a catarata atinge cerca de 120 pessoas no Brasil por ano. Ela é a causa mais comum de cegueira – 769 mil brasileiros já perderam a visão por conta dela. Já o glaucoma acomete perto de 1 milhão de brasileiros e é a principal causa de perda de visão irreversível.

Já a DMRI atinge cerca de 3 milhões de brasileiros, sendo a terceira principal razão de cegueira no país.

Na opinião do médico oftalmologista Dr. Aparecido João Faloppa, do Austa Hospital e HO Redentora, os números acima dimensionam o quanto é grave a incidência dos problemas oculares entre os brasileiros. Mesmo assim, as estatísticas dos órgãos públicos e das entidades médicas mostram que o descuido é grande com a saúde ocular. Por exemplo, das pessoas com 55 anos em que foi diagnosticada a degeneração macular relacionada à idade, 65% não sabiam e nunca sequer ouviram falar sobre a doença.

"Desde os primeiros anos de vida, a pessoa precisar passar por consultas periódicas com o oftalmologista. Quanto mais cedo a doença ou outro problema com a visão for diagnosticado, maiores as chances de sucesso do tratamento e de cura, afastando o risco de perda de visão", afirma Dr. Faloppa, profissional referência na oftalmologia de Rio Preto e região, com mais de 40 anos na especialidade.

Se esta rotina preventiva já era difícil de ser adotada, Dr. Faloppa reconhece que, a partir da pandemia, a situação agravou-se. Os pacientes adiaram a consulta ou acompanhamento de tratamento por meses e muitos não regressaram. Outra grande parcela da população sequer iniciou o acompanhamento com o oftalmologista.

Dr. Faloppa lembra que a maioria das doenças oculares demandam tratamento continuado, mesmo em momento tão delicado como a pandemia, a fim de evitar problemas que venham a ser irreparáveis. "Há pacientes que passaram quase dois anos sem uma consulta e que podem ser portadores de glaucoma, doença que lesa o nervo óptico, principalmente através do seu principal fator de risco, que é o aumento da pressão ocular. Se não controlada, pode causar déficit na visão", alerta o oftalmologista do Austa Hospital.

Crianças, adultos e idosos, portanto, devem iniciar, continuar ou retomar o hábito de consultar-se com o oftalmologista – esta é a principal mensagem do oftalmologista e das instituições envolvidas neste Dia Mundial da Saúde Ocular.

 Dicas de proteção para os olhos:

 – evitar coçar os olhos;

– cuidados com a maquiagem: remover os produtos de beleza dos olhos antes de dormir; não usar produtos fora do prazo de validade; não usar produtos de outra pessoa; usar produtos antialérgicos e sem conservantes;

– verificar regularmente o nível de glicose no sangue para evitar problemas oculares provocados pela diabetes;

– ao menos uma vez por dia, higienizar a área em volta dos olhos, como pálpebras, cílios e cantos, para remover impurezas e secreções secas evita coceira, irritação ou até conjuntivite;

– piscar com mais frequência e fazendo pausas repetidas lubrifica as córneas, evita o ressecamento dos olhos, descansa a vista e auxilia no combate à chamada síndrome da visão de computador;

– usar protetor ocular sempre que houver risco de algo atingir seus olhos;

– lavar os olhos com bastante água limpa se neles cair qualquer substância;

– usar óculos ou lentes de contato apenas quando prescritos por médico oftalmologista;

– antes de colocar ou ao tirar as lentes de contato, lavar bem as mãos e higienizar as lentes com produtos indicados pelo fabricante. O estojo onde as lentes são guardadas também deve estar sempre limpo;

– uilizar óculos escuros em ambientes com claridade excessiva;

– consumir mais peixe: o alimento é rico em ômega 3 e contém vitaminas A, B,D e E, essenciais para a saúde, e particularmente, saúde ocular;

– não fumar, praticar exercícios físicos, manter o peso adequado e uma boa alimentação, são atitudes saudáveis inclusive para os olhos;

– visitar regularmente o médico oftalmologista para fazer exames preventivos: o melhor cuidado!

 Fontes: Conselho Brasileiro de Oftalmologia e Ministério da Saúde.


0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››