29 julho 2021

Diminui nascimentos e casamentos, mas aumenta o número de mortes

 

Brasileiro está casando menos, tendo menos filhos e isso fez reduzir a quantidade de nascimentos e aumentar o número de mortes

 
Dados do Portal da Transparência dos cartórios de Registro Civil mostram que o número de dos nascimentos nas cidades brasileiras foi quase 6% menor em 2020 do que no ano anterior. A quantidade de casamentos sofreu queda de 25,6%. Mas a quantidade de óbitos foi quase 15% maior do que a registrada em 2019.

A somatória das mortes nas cidades da região superou os índices de aumentos no número de mortes da média nacional, que foi 14,85%, e a média estadual de 13,93%.

Outro dado assustador é o aumento nas mortes ocorridas nos seis primeiros meses deste ano em comparação com o mesmo período de 2020. Com exceção de janeiro, quando se registrou queda de 17,7% de mortes em 10 cidades da região (veja gráfico abaixo), todos os demais registraram aumento elevado no número de mortes. Maio e junho foram os meses que apresentaram maiores altas com, respectivamente 109% e 95% de aumento no número de mortes ocorridas no ano passado. É bom que se frise que nem todas essas mortes estão relacionadas à pandemia do coronavírus. Mas tudo leva a crer que o vírus da covid-19 contribuiu para elevar esses números. A pandemia da covid-19 teve o efeito de aumentar os óbitos e diminuir os nascimentos, reduzindo o crescimento natural do Brasil.

 

Transição demográfica

 O Brasil vive também um período de transição demográfica, com redução do número de nascimentos e aumento do número de óbitos. A tendência estrutural é de redução do crescimento populacional até a estabilização econômica do país. As famílias, de maneira geral, no mundo inteiro, têm diminuído o número de filhos.

No quinquênio de 1980-1985, o número anual de nascimentos no Brasil era de 4 milhões de bebês. Este número caiu para cerca de 3 milhões em 2010. Em 2016, principalmente em decorrência da epidemia da Zika, o número de nascimentos caiu para 2,9 milhões, mas subiu novamente em 2017, para o patamar estimado da projeção populacional, em torno de 3 milhões. A estimativa é que o número de nascimentos chegue a 2,3 milhões no ano de 2047.

 O número de mortes estava na casa de 1 milhão de óbitos em 1980 e subiu para algo em torno de 1,2 milhão de óbitos em 2010. As projeções do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) indicavam 1,7 milhão de óbitos para o ano de 2030 e de 2,3 milhões para o ano de 2047, quando os óbitos passariam, definitivamente, o número de nascimentos.

 

Os meses de maio e de junho de 2021, em comparação com o ano passado, foram os meses que registraram o maior número de mortes nas cidades da região

Casamentos

Os casamentos reduzem pelo quinto ano seguido e passam a durar menos tempos. Em dez cidades da região de São José do Rio Preto a quantidade de casamento reduziu quase 30% em 2020, comparado com o ano anterior. O percentual é maior do que as médias nacional e estadual, respectivamente de 14,85% e 13,93%.

Segundo o IBGE, a duração média do casamento caiu 26,88% em dez anos. O tempo médio entre a data do casamento e a data da sentença ou escritura do divórcio, estadual, em 2009 era de 17,5 anos. Na década seguinte, em 2019, houve diminuição do tempo de duração do casamento para 13,8 anos, ou seja, quatro anos a menos

 Na região de Rio Preto, a cidade de Mendonça foi a que registrou menos casamento em 2020. Foram apenas 10 matrimônios contra 16 realizados no ano anterior, queda de 37,5%. A maior queda na quantidade ocorreu em Irapuã com 54% de casamentos a menos.

 O professor de Sociologia Fabricio Luís Haas, em entrevista para o jornal Folha da Mata, disse que o fator econômico, principalmente nesse período de alta inflação, é um dos aspectos que mais têm contribuído para a redução do número de casamentos. “Casar, hoje em dia, dentro do padrão cultural que se estabeleceu pela sociedade de consumo, se tornou muito caro”, analisa o professor. “Casamento remete à ideia de um grande evento, da cerimônia, festa e lua de mel, e isso impede muitos casamentos”.




Número de nascimentos reduziu quase 6% em 2020 em relação a 2019

Mais velórios ocorreram neste ano e no ano passado em todo o Brasil


0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››