07 abril 2021

Polícia Federal deflagra a “Operação Greening” em Rio Preto

 

Apreensão pela PF de 4 milhões de maços de cigarro contrabandeados em 2018 do Paraguai para o Brasil (foto: Arquivo)

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quarta-feira (7) a  “Operação Greening” que investiga crimes de lavagem de dinheiro e contrabando de cigarros em São José do Rio Preto.

Aproximadamente 20 policiais federais estão cumprindo quatro mandados de busca e apreensão, todos em São José do Rio Preto. Os mandados foram expedidos pela 6ª Vara da Justiça Federal de São Paulo, que também decretou a quebra de sigilo bancário dos investigados.

O principal investigado é responsável pela prática constante do crime de contrabando de cigarros, já tendo sido preso anteriormente duas vezes por esse crime. A PF constatou que, com o dinheiro obtido de forma ilícita, estão sendo adquiridos diversos bens de valor relevante, especialmente imóveis, os quais são registrados em nome de pessoas interpostas, como “laranjas”, a fim de dar aparência de legalidade a tal patrimônio, o que configura a prática de “lavagem de dinheiro”.

Com a deflagração da operação, pretende-se apreender valores e documentos, mídias, equipamentos de informática e telefones que que serão analisados pela PF no interesse das investigações e também com o objetivo de identificar outros envolvidos nos crimes.

As penas máximas para os crimes de lavagem de dinheiro e contrabando são, respectivamente, 10 anos e 5 anos de reclusão.

A investigação, segundo nota da PF expedida à Imprensa, foi batizada de “Greening” em alusão ao nome de uma doença causada por uma bactéria que extermina os citros, tratando-se de referência à utilização de “laranjas” (interpostas pessoas) para ocultação de bens oriundos do crime de contrabando de cigarros praticados pelos investigados.

Dinheiro apreendido na operação desta quarta-feira pela PF


 Crime

 Faz exatamente dois anos que uma megaoperação da Polícia Federal apreendeu 4 milhões de maços de cigarros contrabandeados do Paraguai. Na época cerca de 200 policiais federais, além de servidores da Receita Federal, e da Polícia Militar de São Paulo cumpriram 35 mandados de prisão, desbaratando quadrilha que agia em diversas cidades paulistas, como Sorocaba, Jundiaí, Piracicaba, Limeira e algumas cidades do Paraná, Mato Grosso do Sul e do Espírito Santo.


0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››