26 abril 2021

Diretorias da Funfarme, HB e Hospital da Criança tomam posse

 

Diretorias da Funfarme e do HB que tomaram posse nesta segunda-feira

Maior complexo hospitalar do interior paulista, a Funfarme (Fundação Faculdade Regional de Medicina de Rio Preto) deu posse, na manhã desta segunda-feira (26), aos integrantes das diretorias, conselhos e comissões da fundação e de suas unidades para a gestão 2021-2025. Eles irão administrar esta instituição referência na área da saúde, inclusive para o Brasil, com mais de 8.000 colaboradores e que atende 102 municípios, concentrando cerca de 1,5 milhão de habitantes.

A Funfarme reúne o Hospital de Base de Rio Preto (HB), o Hospital da Criança e Maternidade (HCM), o Ambulatório Geral de Especialidades, o Hemocentro e a unidade do Instituto de Reabilitação Lucy Montoro.

O clínico geral Jorge Fares continuará à frente da diretoria executiva da Funfarme, tendo agora como vice-diretor o ginecologista Wagner Vicensoto, ex-ocupante da diretoria clínica do HCM.

A anestesiologista Amália Tieco da Rocha Sabbag e o nefrologista João Fernando Picollo de Oliveira continuam como diretora e vice-diretor do HB. A diretoria clínica do HB terá como titular o cirurgião geral e gastroenterologista Renato Ferreira da Silva e o vice, o nefrologista Emerson Quintino de Lima.

Na gestão do HCM, o novo diretor é o radiologista Antônio Soares Souza e a ginecologista Maria Lúcia Luiz Barcelos Veloso permanece na vice-diretoria.

Excelência e qualidade

Durante a posse, com a presença de poucos médicos, mantendo-se o distanciamento seguro, Dr. Jorge Fares destacou os desafios das novas lideranças. “Somos reconhecidos pela excelência e qualidade de nossos serviços, das pesquisas desenvolvidas nos mais diversos campos da saúde do ensino e formação profissional, numa simbiose perfeita com a Famerp”, afirmou o diretor executivo da Fundação. “Sabemos, porém, diante da pandemia, devemos continuar investindo e buscando a melhoria contínua para atender nossa comunidade da melhor forma possível”, finalizou.

Pandemia cujos desafios, para Dra. Amália, foram suplantados graças à dedicação e profissionalismo dos colaboradores de todas as unidades e que se manterão nesta nova gestão. “Este ano e meio da pandemia só fez reforçar o protagonismo do nosso complexo hospitalar na saúde da região e do Estado. Em parceria com os governos estadual e municipais, vamos manter este ritmo e os investimentos necessários”, afirmou a diretora do HB.

O novo diretor do HCM concorda com seus colegas do HB de que corresponder sempre às expectativas da população é o desafio maior para as lideranças e os mais de 8.000 colaboradores do complexo hospitalar. Dr. Antônio Soares avalia que, passados oito anos de sua fundação, o Hospital da Criança e Maternidade superou as expectativas da comunidade, que eram grandes. “Mas é justamente esta avaliação positiva que impõem a nós, novos gestores, a grande responsabilidade de não só manter, mas melhorar sempre. Trabalharemos para isso. Para estes cinco anos, teremos várias novidades em expansão da infraestrutura hospitalar e de serviços”, adiantou o médico radiologista.

 

Complexo hospitalar

O complexo hospitalar Funfarme destaca-se pelos corpos clínicos e os demais profissionais das áreas da saúde altamente qualificados, reconhecidos nacionalmente, e pela alta tecnologia que oferecem aos pacientes, dos quais, 85% são do Sistema Único de Saúde (SUS).

Embora o complexo seja a referência para o atendimento de mais de 1,5 milhão de habitantes dos 102 municípios pertencentes ao Departamento Regional de Saúde de Rio Preto (DRS 15), suas unidades atraem pessoas de todas as regiões do Brasil e até da América Latina, que reconhecem a qualidade da medicina e de seus serviços.

Isto faz com que a Funfarme apresente números impressionantes, que a colocam entre os maiores complexos hospitalares do Brasil. São quase 800 mil atendimentos por ano feitos por 1.630 médicos e outros 1.700 profissionais da Saúde. No total, a Funfarme possui mais de 8.000 colaboradores, população maior do que as de algumas cidades do Noroeste paulista.

HB e HCM possuem 1.102 leitos, dos quais 914 de enfermaria e 188 de UTI e um dos maiores centros cirúrgicos do país, com 32 salas onde são realizados mais de 43 mil procedimentos por ano.

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››