04 março 2021

Prefeitura decreta isolamento e lança Disque-Denúncia para combater a Covid-19

 

O Disque-Denúncia funciona das 7h à meia-noite, todos os dias

A Prefeitura de Irapuã decretou “lockdown”, que são medidas mais restritivas para o funcionamento do comércio e de diversas outras atividades na cidade. E desde o dia 1º de março começou a funcionar no município o Disque Denúncia para quem desobedecer as determinações dos órgãos de saúde para combater o coronavírus.

O Disque Denúncia serve, segundo a prefeita Reni Silva (DEM), para a população denunciar os infratores. De acordo com o coordenador da Vigilância Sanitária, Rodrigo Veloso, até a última quinta-feira, o sistema, que funciona das 7 h até a meia-noite, recebeu mais de 20 denúncias. “A maioria refere-se a pessoas que estavam contaminadas e não estavam cumprindo a quarentena em casa”, explicou. “Mas todas foram resolvidas por meio do diálogo. As equipes se dirigem até o local e conversam com a pessoa, pedindo para que ela retorne e permaneça em sua casa, evitando contaminar outras pessoas”.

Qualquer pessoa pode entrar em contato por meio do telefone  (17) 99731-8404 para passar informações sobre eventuais festas ou aglomerações de pessoas. Se flagrar alguém sem máscara ou que esteja contaminado e não está respeitando o período de quarentena também deve ser comunicado ao Disque Denúncia para ajudar a combater o coronavírus.

“O apoio da população é muito importante para ajudar a Prefeitura a conter o avanço da Covid-19 em nossa cidade”, afirma a prefeita Reni. “Contamos com a colaboração de todos, para juntos vencermos esse vírus. A saúde de todos nós, é a grande prioridade no momento”.

Reunião

O médico Carlos Dalvazo e a prefeita Reni Silva conversam com a equipe de combate ao coronavírus em Irapuã para falar sobre as medidas restritivas 


 Em pleno domingo a prefeita esteve reunida, na Câmara Municipal, com o médico Carlos Davanço e parte da equipe de enfrentamento à Covid-19. Ela, o coordenador municipal de Saúde, Carlos Eduardo José dos Santos, e o médico trataram dos protocolos e de medidas para minimizar os números de infectados no município. O presidente da Câmara, vereador Maurício Palhari (MDB), também participou da reunião.

 Desde o início da pandemia, em março do ano passado, Irapuã já contabilizou oito mortes e 364 casos positivos da doença. Na quinta-feira (4) eram 22 que estavam sendo tratadas no Centro de Saúde.

 A decisão da prefeita de determinar o fechamento de diversas atividades do comércio no município gerou críticas, principalmente por parte de alguns comerciantes. “Se a prefeita pede para fechar, reclamam, se ela pede para abrir também reclamam... os ignorantes culpam a coitada da prefeita sem merecer”, escreveu Agda Conceição, nas redes sociais, saindo em defesa da prefeita. “Ela está certa sim. Tem muita gente morrendo”.

 Fechamento

Além de Irapuã, outras 17 cidades do entorno de Catanduva também adotaram medidas restritivas, determinando o fechamento do comércio. As mudanças são justificadas pelo aumento das internações. No começo da semana passada, a taxa de ocupação de leitos de UTI com infectados com a Covid-19 era acima de 80% na maioria dos hospitais da região.

No Hospital Emílio Carlos, responsável por atender pacientes com coronavírus pelo SUS (Sistema Único de Saúde), a ocupação de leitos na enfermaria e UTI era de 96% de lotação. No Hospital de Base de Rio Preto o índice de internações com Covid era de 94% na UTI.

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››