17 dezembro 2020

Ação do Ministério Público fecha prefeitura de Palestina para apurar suposto desvio de verbas

 

 

Viaturas da Polícia cercam prédio da Prefeitura de Palestina para ação do Ministério Público Estadual que apura suposto desvio de verbas do Covid-19

Ação do Ministério Público Estadual (MPE) e a Polícia Militar deflagraram ação para desbaratar quadrilha acusada de desvios de verbas destinadas ao combate do Covid 19. Mandados estão sendo cumpridos em diversas cidades da região. A operação também está sendo feita em Macaubal, Votuporanga e Rio Preto. O MPE apura desvio estimado em R$ 8 milhões.

 Em Palestina os cerca de 13 mil moradores da cidade amanheceram assustados com o movimento das viaturas da Polícia nas ruas. A casa do prefeito Fernando Semedo (PP), que conseguiu eleger seu vice-prefeito Reinaldo Cunha (PSDB) como seu sucessor, foi cercada por viaturas da Polícia Militar. Segundo informações de moradores, o prefeito foi conduzido por policiais até o prédio da Prefeitura.

Viaturas da Polícia amanheceram estacionadas defronte à casa do prefeito Fernando Semedo, em Palestina. Prefeito é alvo de investigação pelo Ministério Público que apura suposto desvios de verbas destinadas ao combate do Covid


Funcionários foram impedidos de entrar no prédio para trabalhar e somente o prefeito, policiais e representantes do Ministério Público entraram.

Ainda não se sabe ao certo os motivos da operação em Palestina. No começo deste ano a Justiça concedeu liminar obrigando a prefeitura a fornecer transporte escolar aos alunos da zona rural.

Semedo responde a diversas ações na Justiça. Uma delas que ainda tramita no Tribunal de Justiça é sobre a possível negociação de propina, detectada ao longo das investigações do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), que desencadearam a chamada Operação Fratelli, que desbaratou suposto esquema de fraude em licitações de pavimentações asfálticas.

O promotor Gustavo Yamagushi Miyazaki entrou em 2014 com ação contra Semedo, acusando-o de negociar R$ 30 mil em propina com representantes da chamada Máfia do Asfalto.

 Palestina de Goiás

 No começo deste mês outra cidade com o mesmo nome, mas localizada no interior do Estado de Goiás, também foi alvo de ação da Polícia Civil. Após receber denúncias de que máquinas da Prefeitura de Palestina (GO) estariam fazendo serviços na fazenda do atual prefeito Valdivino Rodrigues Borges (PSDB), equipes da Polícia Civil foram até o local e constataram rastros de pneus de máquinas pesadas no solo.

Máquinas e caminhões da Prefeitura são flagrados trabalhando na fazenda do atual prefeito de Palestina de Goiás, Valdivino Rodrigues Borges, do PSDB


Funcionários da prefeitura e operadores das máquinas confirmaram que estavam há vários dias realizando trabalhos nas estradas próximas da  fazenda. Disseram que estavam arrumando as estradas que dão acesso à fazenda, localizada no município vizinho de Caiapônia. As máquinas foram apreendidas e foi instaurado inquérito para apurar a responsabilidade.

 Palestina em Goiás, com cerca de 3 mil habitantes, foi fundada no começo do século 20 por presbiterianos. É um dos três municípios de Goiás onde o protestantismo foi a maior religião no último Censo, juntamente com Cristianópolis e Guaraíba.

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››