11 novembro 2020

Polícia aprende jornais com pesquisas em Sales

 

Policial Militar manuseia exemplares do jornal apreendido com pesquisas supostamente fraudulentas

Grande quantidade de jornais com a divulgação de pesquisas supostamente fraudulentas foi apreendido na manhã desta quarta-feira em Sales. Os jornais apreendidos e as pessoas que estavam entregando o panfletário foram parar na Delegacia de Polícia. Um vídeo, suspostamente gravado por um investigador, circulou pelas redes sociais e mostra o momento da realização do flagrante com a grande quantidade dos impressos apreendidos na Delegacia.  

A reportagem da Folha do Povo confirmou que os impressos estavam apreendidos na Delegacia de Sales. Mas não conseguiu mais detalhes sobre quem confeccionou e quem pagou os impressos com supostas pesquisas fraudulentas. O delegado ainda estaria lavrando o flagrante para apurar o caso. 

Pesquisa proibida 

No começo da campanha eleitoral, no mês de setembro, o juiz da comarca Antônio Carlos Pinheiro de Freitas, da 207ª Zona Eleitoral, determinou a suspensão da divulgação de pesquisa de intenção de votos realizada pela empresa Publi QC Pesquisas & Editora Limitada, com sede em São José do Rio Preto. O juiz acatou representação do MDB de Irapuã e, além de proibir a divulgação dos resultados da pesquisa de intenção de votos da empresa, estabeleceu multa de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

Na sentença o juiz escreveu ter analisado que não se pode admitir que uma empresa com capital social de R$ 60 mil e com início de atividade em 6 de julho deste ano realize o registro de mais de 100 pesquisas eleitorais em diferentes cidades do Estado. A empresa, segundo o juiz, não comprovou suporte financeiro para bancar o custo desse montante de pesquisas, avaliados em mais de R$ 200 mil.

Candidatos contra pesquisas 

Dois candidatos a prefeito consultados pela Folha do Povo se manifestaram contra a divulgação de pesquisas. “Esse tipo de pesquisas, que não mostra a realidade não é bom para ninguém”, afirmou Josemar de Abreu, candidato a prefeito pelo PSB, acrescentando que “só serve para confundir a cabeça do eleitor”. Ele disse ter sido procurado, em sua casa, por uma pessoa que nunca viu circulando na cidade oferecendo esse tipo de serviço. Mas como não deu muita conversa, a pessoa nem chegou a lhe fazer propostas de pagamento.

Luís Carlos Abrão Jana Junior, candidato a prefeito pelo PSL, disse que não se preocupa com pesquisas. “Em cidade pequena quase todo mundo se conhece e já sabe mais ou menos para que lado vai”, afirmou. “A melhor pesquisa é a das urnas. Talvez nem me procuraram já sabendo da minha opinião”.

 

Vários pacotes do impresso foram apreendidos pelos
policiais antes de serem entregues nas ruas 

 

Entregadores com grande quantidade de jornais com pesquisas supostamente fraudulentas foram parar na Delegacia de Polícia

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››