23 novembro 2020

Empate técnico marcou início da carreira de vereador com mais mandatos

Sempre meio carrancudo e com cabelo pintado na cor de caju, Gerson Furquim nunca foi de muitos sorrisos, mas conseguia a façanha de ter o maior número de mandatos consecutivos na Câmara Municipal


O advogado Gerson Aparecido Furquim dos Santos,  de 64 anos, nascido em Talhado, pequeno distrito no entorno de São José do Rio Preto depois de oito mandatos consecutivos como vereador ficará de fora da Câmara Municipal. E desta vez nem como suplente ficou porque o partido pelo qual tentou a reeleição, o Podemos, não fez os 11.802 votos suficientes para poder conquistar uma das 17 cadeiras da Câmara.

O acaso levou o advogado a trilhar os caminhos da política. E do primeiro mandato até hoje são 32 anos ininterruptos de vida pública. Uma figura pública bastante enigmática. É de pouco falar. Na Câmara fazem até piada, dizem que ele somente abre a boca no plenário para tomar café e falar “presente”, evitando descontos no salário por ausência. Mas mesmo assim, em 2003, numa articulação feita pelo colega vereador Luiz Storino chegou à presidência da Casa. 

“Em 1988 fui convidado por dois amigos, o Olavo Taufic e o Celso Melo, para concorrer como vereador. Escolhi sair pelo PFL do Celso. O Olavo era do PDS. Levei a campanha a sério e comecei pedindo voto para os meus clientes no escritório”, recorda. O primeiro santinho, contou para o jornalista Júlio César Garcia, foi feito com papel de pão, doado pelo dono de uma gráfica.

Celso Melo conta ter convidado Furquim para completar a chapa de candidatos a vereador pelo PFL. Após muito relutar, Furquim acabou aceitando. Mas o juiz acabou indeferindo a candidatura e foi Celso Melo quem fez a defesa, na condição de membro da executiva do partido. Furquim era membro da igreja Congregação Cristã no Brasil (CCB), cujos fieis votaram em peso nele.

Naquela época a contagem de votos era manual e realizada no ginásio de Esportes do Palestra. Furquim estava perto de escrutinador quando ouviu que ele iria anular um voto, pois estava escrito na cédula “Celso Furquim”.

“Falei que ele tinha que validar o voto para mim e não para o Celso Melo, pois o que valia pela lei era o nome e não o prenome. Ele manteve a decisão de anular e chamei o juiz eleitoral, que me deu razão e incluiu o voto na minha contagem. Eu e o Celso empatamos com 676 votos. Como eu era mais velho, fui empossado. Celso recorreu na Justiça, mas não conseguiu reverter”, lembra.

Maior número de mandatos

Sempre meio desconfiado e avesso às entrevistas, Gerson Furquim é considerado como vereador enigmático na Câmara Municipal


Recordista de toda a história do Legislativo de São José do Rio Preto superando até o invicto professor e jornalista José Barbar Cury, detentor de sete mandatos consecutivos na Câmara Municipal, Gerson iria, se fosse reeleito, para o seu novo mandato consecutivo. Para ele só existe uma fórmula para tantas vitórias: “trabalhar muitos e fazer projetos para ajudar a população, principalmente a mais carente”.

Levantamento feito pela Folha do Povo, junto à Câmara Municipal, mostra que nos 32 anos em Furquim esteve ocupando cadeira na Câmara Municipal apresentou 148 projetos de lei. A maioria, mais de 120 projetos, foi para dar nomes de ruas e logradouros públicos. Outros eram para inclusão de áreas no perímetro urbano ou beneficiar construções consideradas como irregulares. Foi dele o projeto de lei para autorizar a construção de “puxadinhos” e o que instituiu o Dia da Bíblia na cidade.  Nesses anos ele mudou de partidos várias vezes, de acordo com a conveniência para facilitar sua recondução ao cargo.  Foi filiado no PFL, PDS, PSDB, PSL, PP e Podemos. Gerson foi um dos vereadores que votou contra a instalação da TV Câmara.

Projeto eleitoreiro

 Em abril deste ano Furquim apresentou na Câmara um projeto de lei considerado como eleitoreiro pelos colegas. Propunha reduzir em 50% os salários do prefeito, do vice-prefeito e dos vereadores. O projeto foi arquivado pelas comissões, antes de ir ao plenário.

Depois que perdeu a eleição, Furquim se mantém recluso. Não tem mais aparecido em público e não atende as ligações e nem responde as mensagens deixadas pelos jornalistas em seu celular. Provavelmente deve encerrar sua carreira na política.

Declarações

Em sua declaração de bens entregue neste ano à Justiça eleitoral Gerson Furquim disse ter R$ 234 mil em patrimônio. Entre os bens declarados pelo vereador estão uma propriedade rural em Mirandópolis, avaliada em 56 mil, um conjunto de salas avaliadas por ele em R$ 20 mil e um veículo Ford Ecosport.

Ele declarou ter recebido uma receita de R$ 28 mil para sua campanha. Foram R$ 10 mil do partido e R$ 4 mil do amigo Osmar Chiquito. E declarou ter gasto, até o fechamento desta edição, apenas R$ 1.280.



.


0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››