01 outubro 2020

Prefeito de José Bonifácio renuncia poucos minutos antes do início da sessão que iria cassá-lo

 

Celso Gaúcho renuncia ao cargo de prefeito a poucos minutos antes do início da sessão convocada para cassar o seu mandato

 

 

Eram 8h52 quando foi protocolado na Câmara de José Bonifácio a carta de renúncia do prefeito Celso Olimar Calgaro, o Celso Gaúcho como é mais conhecido. A carta de renúncia em caráter irrevogável foi entregue poucos minutos antes do início da sessão extraordinária, marcada para às 9 horas. Cópia do mesmo documento foi protocolado na Prefeitura.

Os vereadores tinham sido convocados pelo presidente da Casa, Rafael Claudemiro Nizato, para votar o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que tinha concluído pela cassação do mandato do prefeito. Com a renúncia de Celso Gaucho (PSDB), quem assume a prefeitura é o vice-prefeito Dilmo Resende de Carvalho (DEM), que é candidato a prefeito nestas eleições.

 De acordo com a CPI, Celso Gaúcho fraudou licitações de compras de pelas e manutenção de veículos. Na carta o agora ex-prefeito afirma que renunciou por motivos pessoais e familiares, “depois de ter refletido muito sobre o assunto”.

Cassado antes

O prefeito Celso Gaúcho já tinha sido cassado pelos vereadores em 2018. Porém, o Tribunal de Justiça suspendeu os efeitos de sua cassação e ele retornou ao cargo alguns meses depois.

Na época ele foi acusado de direcionar licitação para locação de ônibus para o transporte de universitários. A defesa argumentou que a Câmara não teria seguido as regras, como por exemplo, o fato de ter publicado a decisão em uma única vez no Diário Oficial, quando o correto teria que ser publicar duas vezes, com intervalo de três dias.

Vereadores mesmo com a renúncia do prefeito realizam sessão extraordinária para ler o relatório que pedia a cassação de Celso Gaúcho

A carta de renúncia do prefeito, com firma reconhecida de
sua assinatura por cartório



0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››