19 agosto 2020

14 instituições de Rio Preto estão impedidas de receber recursos públicos

 

Duas escolas de samba, a Banda Sinfônica e outras 12 instituições estão impedidas de contratar e receber recursos públicos em Rio Preto

O Tribunal de Contas tornou público, por meio de comunicado veiculado no Diário Oficial do Estado, divulgou a relação de pessoas físicas e jurídicas que sofreram penas em procedimentos licitatórios e contratuais e, por determinação judicial, estão proibidas de contratar, fazer ajustes ou receber benefícios ou incentivos da administração pública.

Entre as empresas e instituições proibidas de contratar e de receber recursos públicos estão 14 instituições de São José do Rio Preto e uma de Bady Bassitt. A listagem traz situações de instituições, de empresas ou fornecedores que descumpriram obrigações ou cometeram irregularidades nas licitações, na prestação de contas e nos contratos e poderão ficar de dois a cinco anos proibidos de realizar novas contratações e de receber recursos públicos.

Entre as 14 instituições impedidas de receber recursos públicos estão duas escolas de samba (Pérola Negra e Tigre Dourado), a Banda Sinfônica, a Federação de Teatro Amador da Região de Rio Preto (Fetarp), a Caritas do Sagrado Coração de Jesus, a Associação Beneficente do Evangelho Quadrangular e a Sociedade Educacional Tristão de Athaíde, mantenedora da escola Seta.

Em Bady Bassitt está impedido de receber recursos e de contratar com o serviço público o Instituto Sulamericano para a Promoção de Equidade no Desenvolvimento Sustentável e Multisetorial (Isdem).

A relação, atualizada diariamente e publicada uma vez por mês na Imprensa Oficial, está disponível no site do TCE para consulta por meio do link http://bit.ly/2TcslEl. Ao clicar em ‘Impedimento Contrato/Licitação’, o interessado poderá acessar o nome dos apenados, os órgãos da administração a que se relacionavam, o enquadramento legal da pena e por qual período é válida a punição.

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››