20 junho 2020

Tribunal notifica prefeito para dar explicações sobre contrato

Prefeito Luiz Tobardini, do PSDB, agora com máscara, terá de dar explicações sobre contrato ao Tribunal de Contas

O prefeito de Bady Bassitt, Luiz Antonio Tobardini (PSDB), que foi alvo em menos de 15 dias de dois pedidos de instalação de Comissão Processante de Investigação (CPI) para averiguar eventuais irregularidades em sua administração, foi notificado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) para prestar esclarecimentos a respeito do contrato de R$ 212,8 mil com uma empresa para a realização de obras de infraestrutura.

O conselheiro Dimas Ramalho deu prazo de 15 dias para o prefeito tome ciência dos relatórios que apontam eventuais irregularidades possa apresentar as manifestações que entenderem cabíveis. Transcorrido o prazo assinalado, os autos deverão voltar ao gabinete do conselheiro, com manifestação também do Ministério Público de Contas (MPC).

No despacho publicado, na última quinta-feira, no “Diário Oficial do Estado”, não há detalhes do processo. Mas a Folha do Povo levantou que existem outros dois contratos firmados pela prefeitura com a mesma empresa, que é de São José do Rio Preto, neste ano, e que somam, respectivamente, R$ 169,6 mil e R$ 43,4 mil. Todos para “obras de infraestrutura esportiva”.

Pedido de CPIs rejeitados pela Câmara

Em duas semanas, a Câmara de Bady Bassitt rejeitou o segundo pedido de abertura de comissão processante contra o prefeito Luiz Antônio Tobardini (PSDB). A primeira foi para investigar contratos sem licitação com uma empresa de locação de veículos de Nova Aliança para o setor da Saúde. A última denúncia, também relacionada a contratos da saúde sem licitação, foi arquivada por quatro votos a três - mesmo placar da primeira votação.
Votaram a favor do prefeito Márcio Elias dos Santos (PSDB), Milton Verni (PPS), Rafael Damásio (MDB) e Vanderlei Barufi (MDB). Já Airton da Silva Rego (PL), Carmem Lúcia de Alécio Silva (PSD) e Rosângela Scocca (PTB) foram favoráveis.
O presidente da Câmara, Adalmur Imada (MDB), não vota. E o vereador  João Rodrigo Rosa Vieira (DEM), filho do vice-prefeito João Carlos Veira (DEM), se absteve de votar O pedido de abertura de PC, que poderia acabar na cassação do mandato de Tobardini, foi apresentada por um eleitor e vendedor de Bady Bassitt.

Para a maioria da Câmara, o serviço questionado é de extrema importância à saúde pública, "além de a matéria ter contado com aprovação do Tribunal de Contas do Estado referente ao período", afirma nota. O prefeito não foi encontrado pelo Diário da Região e bem pela Folha do Povo para comentar o assunto.

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››