18 junho 2020

Mendonça, com 20 casos positivos, entra em estado de alerta contra o Covid-19

Nem o prédio da Prefeitura escapou do vírus. Um dos servidores foi contaminado, testou positivo. Está afastado do serviço e colocou em estado de alerta a todos os demais servidores públicos municipais



O aumento de números de casos de Covid-19 na cidade de Mendonça colocou em estado de alerta as autoridades locais. Em menos de um mês a quantidade de casos notificados e confirmados dobrou. “Estamos passando por um momento preocupante em relação ao Covid-19 em Mendonça, o número de positivos só cresce”, informou o secretário municipal de Saúde, o médico Francisco Xavier Vieira. “Precisamos nos conscientizar, um descuido pode levar a doença para dentro de casa”.

Até ontem, dia 17, tinham sido notificados 87 casos suspeitos da doença em Mendonça. Desses, 20 testaram positivos. Três pessoas estão internadas em hospitais da região e uma morte já ocorreu por causa de Covid-19. De acordo com o secretário de Saúde, o número vem crescendo porque vem sendo testado mais pessoas e foram registrados alguns surtos numa mesma família ou local de trabalho.

Em nota divulgada à população a Prefeitura pede para as pessoas seguirem as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). “Ressaltamos com insistência que as medidas de higiene e todas as outas tão divulgadas, como de isolamento e distanciamento, devem ser cumpridas por todos como forma de minimizar a incidência do vírus no prazo curto, o que levaria a um rápido colapso do sistema de saúde”, diz a nota.

A nota esclarece que os casos positivos tem ocorrido em pacientes na faixa etária entre 21 a 60 anos, que são justamente aquelas pessoas que estão atuando, algumas por necessidade, se deslocando por outras cidades da região e não estão respeitando o distanciamento e isolamento social.

Um dos focos da cidade ocorreu em um dos supermercados da cidade, que já foi notificado pela prefeitura para restringir o atendimento e tomar as medidas necessárias e preventivas como o uso de máscaras, fornecimento de álcool em gel, além de controlar o fluxo de pessoas com a medição da temperatura de estado febril.

O secretário de Saúde informou que o prefeito Antonino Caetano de Souza, o popular Sabiá (SD), por meio de decreto irá endurecer as regras para o funcionamento do comércio local. O fluxo de pessoas deverá ser restringido para 20% nos estabelecimentos. “Se não obedecerem a multa poderá ser de até 50% do faturamento do estabelecimento”, avisa o secretário.

Desinfecção

Nem a prefeitura escapou de ser contaminada pelo vírus. Um servidor do Paço Municipal também testou positivo e colocou todos os demais servidores, inclusive o próprio prefeito Sabiá e o vice-prefeito Juliano de Oliveira (PSDB) em estado de alerta. Os dois agora não desgrudam das máscaras e nem do álcool em gel. “Carrego direto no meu carro e, também no carro da minha esposa, um recipiente com álcool em gel para sempre estar desinfectando as mãos”, revela o vice-prefeito Juliano.

O prédio da Prefeitura, da Assistência Social, do Fundo de Solidariedade, os postos de Saúde e praças passam por desinfecção pelo menos uma vez por semana. A medida serve como forma de se evitar a proliferação do coronavírus e garantir a segurança de todos.

A desinfecção é feita com hipoclorito de sódio e água sanitária nos locais externos e com álcool 70% nos locais internos. Os servidores que fazem o serviço utilizam roupa de proteção para não ter riscos de contaminação.

Barreiras sanitárias

Em nota distribuída à imprensa, a Prefeitura de Mendonça também esclarece porque não está colocando barreiras sanitárias nas entradas da cidade. “As barreiras sanitárias, de legalidade discutível, que muitos solicitaram como forma de barrar a entrada do vírus na cidade apresenta vários pontos contra sua adoção”, informa a nota.

O alto custo para manter tendas com equipes com três ou quatro pessoas com equipamentos e paramentos, em regime de escala de ao menos 12 horas diárias, desmotiva a adoção desse tipo de barreiras. Além disso, na maioria das cidades onde foi realizado esse tipo de barreira mostrou-se ineficaz, sem redução no número de casos da doença.

As barreiras sanitárias, segundo a nota da prefeitura, não barram pessoas portadoras do vírus que são assintomáticas. O desgaste geral pelo congestionamento no trânsito, causado pelas barreiras, acaba causando estresse e até casos de violência. “Não há lei que impeça o direito de ir e vir”, informa a nota.

“O único ponto a favor da adoção de barreira sanitária é o de que ao detectar os poucos casos sintomáticos ou suspeitos, esses seriam orientados a passar por avaliação médica”.


Funcionário realiza desinfecção no prédio do Departamento de Assistência Social da Prefeitura

Estacionamento de um dos supermercados de Mendonça passa por desinfeção com uso de hipoclorito de sódio e água sanitária para não disseminar o coronavírus

Funcionário trajado com roupa de proteção realiza a desinfecção de uma das praças de Mendonça

Unidade Básica de Saúde de Mendonça é desinfectada contra o coronavírus

Prefeitura utiliza trator com tanque acoplado para desinfectar locais de grande circulação de pessoas

Boletim diário emitido pela Coordenadoria de Saúde mostra os casos da doença em Mendonça


0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››