01 abril 2020

Prefeito que já foi preso anuncia redução de 50% em seu salário para combater coronavírus

Prefeito de Caldas Novas, Evandro Magal (PP), que já foi preso sob suspeita de corrupção,
anuncia redução de 50% no salário dele, do vice-prefeito e de secretários



O prefeito de Caldas Novas (GO), Evandro Magal (PP), anunciou por meio de um vídeo gravado por ele e distribuído pelas redes sociais que dará corte de 50% do salário dele, do vice-prefeito, dos secretários municipais e dos funcionários comissionados.  Também anunciou que haverá previsão de cortes nas gratificações dos servidores efetivos da prefeitura.

Não é a primeira vez que o prefeito de Caldas Novas vira notícia nacional. Logo após assumir o mandato, no começo de 2017, Evando Mafal e o vice dele, Fernando de Oliveira Resende (PPS), foram afastados dos cargos em 17 de janeiro daquele ano, após serem condenados por abuso de poder por meio de veículo de comunicação por pagarem anúncios em jornal em período pré-eleitoral. No entanto, reassumiram os postos um dia depois, após liminar do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Em 13 de setembro de 2018, o prefeito foi preso em operação contra fraudes e lavagem de dinheiro desencadeada pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO). Ele foi preso no Residencial Saint Paul, um condomínio de luxo em que mora com a família, e levado, junto com outros quatro presos para a sede do MP-GO, em Goiânia.

Segundo matérias veiculadas pela imprensa na época, o MP estimou que o esquema tenha causado prejuízo de mais de R$ 1 milhão com fraudes em compras de empresas de fachada. Em julho do ano passado, o prefeito foi ouvido em audiência na Justiça. Os advogados do prefeito alegaram que ele foi vítima de uma “devassa” do MP e que ele não iria se pronunciar sob o caso, que segue sob sigilo.

Coronavírus

Agora durante a crise do coronavírus o prefeito tenta recuperar sua popularidade perante a opinião pública. Magal argumenta que não adianta fazer exigências junto aos pequenos empresários, aos comerciantes, antes do poder público dê o exemplo.

 “Não adianta exigir sacrifício dos pequenos, dos empresários, do comerciante. É preciso que o Poder Público dê o exemplo. Eu assinei o decreto cortando o meu salário, do vice-prefeito, dos secretários, dos agentes políticos em 50%. Mandei ainda um projeto para a Câmara reduzindo o salário dos comissionados em 50%. Vou tirar dos efetivos que têm gratificação, 50% da gratificação. Com essa economia teremos dinheiro para pagar a folha de abril, manter a cidade funcionando e não faltar recursos para o básico, para o essencial, no enfrentamento ao coronavírus”, disse o prefeito, em seu vídeo distribuído neste dia 1º de abril por meio das redes.

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››