segunda-feira, 4 de maio de 2020

Justiça Eleitoral lança campanha contra Fake News nas redes sociais



Campanha lançada pelo TSE para combater as Fake News no WhatsApp e redes sociais da internet


Concebida com o intuito de combater com a verdade as informações falsas e distorcidas para confundir o eleitor e atrapalhar o processo eleitoral, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lançou a campanha “TSE contra Fake News” e o “Programa de Enfrentamento à Desinformação”. Ambos com objetivo fundamental de esclarecimento aos eleitores.

Em setembro do ano passado o TSE promoveu seminário internacional sobre as Fake News e as Eleições que resultou no final a publicação de um livro contendo todos os discursos e debates do evento. Na ocasião a então presidente do TSE, ministra Rosa Weber, afirmou que independentemente de lugar e hora, o cidadão está exposto a ampla gama de informações provenientes de várias fontes, confiáveis ou não, com diferentes olhares e propósitos. A Justiça Eleitoral disponibiliza o livro gratuitamente.  O livro pode ser acessado pelo link http://www.justicaeleitoral.jus.br/desinformacao/arquivos/livro-fake%20news-miolo-web.pdf

“A desinformação divulgada em larga escala está a desafiar todas as nações democráticas”, disse a ministra. “Os relatos de irregularidades que chegaram ao conhecimento do Tribunal foram remetidos aos nossos órgãos de investigação, em particular ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal, a fim de que se apurassem eventuais ilícitos e se identificassem responsáveis pela difusão do conteúdo inverídico”.

“As plataformas digitais são as novas formas de comunicação que possibilitam a reprodução disseminada de informações falsas e distorcidas que ganham a aparência de realidade”, afirmou o vice-presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Luiz Viana Queiroz.

“Nós temos o direito de nos expressar, mas não com desinformação. Ao contrário, temos que empoderar uma mídia livre como sendo um dos pilares na luta contra a desinformação”, afirmou Hilde Hardeman, diretora do Serviço de Instrumentos de Política Externa da Comissão Europeia.

Querem enfraquecer adversários e a Imprensa

Para o vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, “as fake News maculam esse processo de escolha através da falta de lisura informacional”. Comungando na mesma linha de opinião, o secretário-geral da Federação Europeia de Jornalistas (EFJ), Ricardo Gutierrez, disse que somente através da promoção da alfabetização midiática será possível mudarem as coisas. 

“Precisamos fornecer instrumentos aos nossos cidadãos para que eles possam fazer a diferença entre uma fonte de informação confiável e uma não confiável”, afirmou Gutierrez. A EFJ é a maior organização de jornalistas da Europa. Gutierrez é professor na Universidade de Bruxelas e membro do Comitê Executivo da Confederação de Comércio da União Europeia.

“Alguns políticos estão simplesmente usando o conceito de fake-news não para atacar a real desinformação, mas para enfraquecer os jornalistas, para enfraquecer esses campeões ou cuidadores da verdade”, afirmou o professor e advogado Diogo Rais, da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP). “Essa retórica de alguns políticos tem impacto no mundo inteiro. Enquanto tem gente usando rôbo, fingindo que é pessoa para tentar criar uma onda desinformacional para montar uma espécie de opinião pública artificial, tem gente desenvolvendo plataforma para descobrir quem é o robô, para pegar o bot”.

Campanha

A Campanha TSE contra Fake-News visa à integração de várias áreas que compõem a estrutura organização da Justiça Eleitoral para promover ações e divulgação de contrainformação a práticas de desinformação.

“Algumas pessoas usam notícias antigas como se fossem novas. Uma Fake News pode até ser uma notícia verdadeira, mas bem antiga. Fique atento para não espalhar informações desatualizadas”, diz um dos spots, que já se encontram no site do TSE:. http://www.justicaeleitoral.jus.br/

  

Confira abaixo algumas das mensagens da campanha TSE contra Fake News:

Nem toda notícia o que parece. Antes de repassar, pense, cheque e recheque a informação em sites confiáveis

Verifique se a informação procede consultando outros sites confiáveis de notícias

Antes de repassar cheque a fonte e confira em outros sites confiáveis se realmente é verdade. Na dúvida não repasse!

Geralmente os autores de Fake News são pessoas que não dominam muito bem o idioma

Cuidado com as mensagens disparadas pelos robôs, certifique-se quem é a pessoa que está lhe repassando a informação

Não cai na tentação de querer ser o primeiro a dar a notícia. Você não é jornalista para querer dar furo de reportagens


0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››