terça-feira, 24 de março de 2020


* Nelsinho Gimenez

Há menos de 90 dias atrás, vivíamos a euforia das festas de fim de ano. O clima de festa contagiava a todos nós, luzes coloridas enfeitavam as fachadas e o semblante das pessoas carregava sorrisos e alegria. A expectativa da chegada do novo ano acalentava no intimo de cada um o sonho de novas conquistas como sempre acontece no início de ano.

O ano novo chegou! Iniciou-se a caminhada de um novo tempo, uma jornada rumo ao desconhecido, ao futuro. Tudo parecia caminhar bem, dentro da normalidade, incluindo a esperança de realizações.
Passou o carnaval a grande festa popular reunindo milhares de turistas do mundo todo, conhecemos as escolas campeãs, tudo seguia completamente igual aos anos anteriores.

Mas, como surpresas existem, e confirmando que o homem não governa o seu destino, o que ninguém esperava aconteceu, o mundo é impactado com a notícia de um novo e potente vírus. O CORONAVÍRUS, provocando um colapso no mundo todo.

Começou na China mais precisamente na cidade de UHAN, em poucos dias centenas de mortes e rapidamente a disseminação se espalha pelo mundo inteiro matando milhares de pessoas em todos continentes. A chegada do Coronavírus ou COVID19 como é tratado pela comunidade científica, alcança a condição de pandemia e segue, desafiando a ciência e os governantes. Nenhum país estava preparado para enfrentar esta pandemia avassaladora.

A crise provocada pelo COVID19 amedronta toda humanidade, impondo realidades nunca vistas pela sociedade que já passou por outras situações graves, porém de menores proporções. O cenário atual é parecido ao de uma guerra! Verdadeiramente assustador. Até os Jogos Olímpicos, como no tempo de guerra, esse vírus fez mudar!

No Brasil, os meios de comunicação divulgam exaustivamente campanhas de conscientização alertando para os cuidados com a higiene pessoal, sempre recomendada em qualquer situação de saúde. Além da higienização também o distanciamento social, a quarentena termo que se tornou muito usado neste momento se tornaram orientações repetidas o tempo todo. Além das orientações medidas radicais foram tomadas pelos governantes como o fechamento das fronteiras entre os países, estados e até municípios e o extremo da necessidade da paralização de algumas atividades do comércio, e a ordem FICA EM CASA, alertando para a gravidade da situação.

De conformidade com a OMS, as ações de segurança ordenadas pelos governos Federal e Estadual, por meio do Ministério da Saúde, cabendo parabenizar o Ministro Mandeta, pela firmeza,  transparência e ética na condução das ações visando diminuir o impacto da pandemia no país. De igual modo cabe destacar a ação do Governo do Estado de São Paulo, o estado com o maior número de registro de pessoas infectadas e de mortes, pelo esforço no sentido de combater o Coronavírus, adotando medidas rápidas e necessárias ao enfrentamento da crise.

A pandemia forçou a mudança na rotina das pessoas, a paralização dos transportes públicos, o fechamento das praias, a paralização dos campeonatos esportivos, a proibição da realização dos eventos, até das missas e cultos religiosos, tudo para se evitar o alastramento destruidor desse vírus ainda sem REMÉDIO. Na ausência de estrutura preparada para esta situação vemos estádios de futebol e outros espaços públicos se transformando em hospitais para atender a demanda provocada pelo CORONAVÌRUS, tamanha é a proporção que esta pandemia poderá alcançar se as pessoas não tiverem a consciência da importância da higienização e dos cuidados para evitar a disseminação do vírus.

Até na minha pequenina Adolfo, onde graças a Deus, não se contabiliza nenhum registro do CORONAVÌRUS, é possível notar os efeitos provocados pela pandemia, escolas e creches fechadas, ginásio de esportes e estádio tudo paralisado, seguindo o Decreto baixado pelo Governador, alguns comércios também paralisados e se antes tinha pouca gente nas ruas agora tem muitos menos, e somente quem não acredita no mal instalado ousa ficar fora de casa.  

É realmente desolador ver a Praça vazia, e ao mesmo tempo revoltante pela falta de consciência daqueles que insistem em contrariar as recomendações colocando em risco a própria saúde e a do seu próximo. Me consola saber, que tudo passará e a vida voltara a ser como antes calma e tranquila.

É mesmo assustadora a situação que estamos vivendo! Este é um momento que exige a consciência de cada um cuidando de si para que o mal não se propague.

Diante do quadro de aflição que estamos vivendo tornou-se imperioso o reconhecimento especialmente pela dedicação dos profissionais da Saúde, que aqui em Adolfo e no mundo inteiro se dedicam a socorrer as pessoas infectadas ou suspeitas de estarem acometidas pelo COVID19. A estes abnegados profissionais além da gratidão devemos oferecer também as nossas orações rogando pela benção e proteção no exercício da profissão.

Nesse momento de incertezas quanto ao desenrolar da crise, de igual modo cabe reconhecer todos os profissionais cujo exercício colabora para garantir que um mal maior se instale na sociedade como o desabastecimento por exemplo. Aos Caminhoneiros, a Defesa Civil, Militares, Bombeiros, e Segurança Pública, muito obrigado por saber que a sociedade pode contar com vocês.

Passada toda esta turbulência provocada pela pandemia, que certamente trará reflexos negativos sobre a economia do Brasil, torço para que os governantes encontrem soluções para amenizar o impacto especialmente dos pequenos municípios onde as dificuldades sempre serão maiores.  

Finalizando, estamos ainda no terceiro mês do ano, resta ainda muito tempo pra que tudo isso passe e a vida volte á normalidade e principalmente os sonhos sejam realizados.

Que Deus tenha misericórdia de nós e do mundo todo.   
Fraternal abraço.

* Nelsinho Gimenez é comerciante e vice-prefeito de Adolfo

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››