quinta-feira, 6 de fevereiro de 2020

Novar, fábrica de tinta em pó, inova e gera emprego em Nova Aliança

 
Ex-prefeito Gusto Fajan é o gerente da fábrica de tintas em pó Novar, em Nova Aliança
  

Dentre todos os revestimentos protetivos, a tinta em pó é certamente um dos segmentos mais inovadores do ramo de tintas. E Nova Aliança abriga, há mais de quatro anos, a Novar, fábrica de tinta em pó com capacidade de produzir até 30 toneladas por mês. A empresa gera hoje sete empregos diretos e poderá contratar mais caso aumente a produção.

O processo conhecido como pintura eletrostática a pó é um dos mais eficientes métodos de aplicação a acabamentos, principalmente em peças metálicas. “É pintura para toda a vida”, garante o proprietário da empresa, Matheus César Marques.

A aplicação é feita a partir da injeção do ar seco e filtrado em recipiente com placa porosa, que acomoda a tinta granulada e a pulveriza sob a superfície a ser pintada. A pintura epóxi é reconhecida por ser extremamente resistente, relevando-se uma ótima alternativa de custo-benefício, deixando a superfície lisa e impermeável.

Matheus informa que o mercado é crescente e os pedidos vindo de todas as partes do Estado e até de Santa Catarina e Rio Grande do Sul não param de chegar. Ele revela que a empresa conta com quatro representantes de vendas, localizados em Limeira, São José do Rio Preto, Blumenau e Porto Alegre. E com a ajuda imprescindível do seu tio, o ex-prefeito Gusto Fajan, que atua na empresa como gerente administrativo. Devido ao seu grande rol de amizades vem conquistando novos clientes a cada dia para a Novar.

O químico da Novar, Jair Araújo, possui 47 anos de experiência no ramo de tintas explica que a pintura em pó, conhecida como epóxis, é composta basicamente de cinco diferentes componentes sólidos, sem a incorporação de solventes ou materiais líquidos pastosos.

Como é feita a tinta

As matérias primas são misturadas e processadas até formar o pó seco para ser acoplados em sacos e caixas. O polímero, o endurecedor e os pigmentos são misturados e aquecidos até fundirem-se. A mistura é extrudada através de uma fieira grossa.

Após sair da extrusora a tinta é depositada num tapete rolante onde arrefece. Na saída desse tapete rolante, a tinta é partida em pequenos estilhaços, moídos até se obter um pó fino na cor desejada. Esse pó é ensacado e colocado em caixas para facilitar o transporte e comercialização. Cada caixa pesa 25 quilos e o preço varia, dependendo da cor e tonalidade, entre R$ 400 a R$ 700.

A tinta de pó seco é aplicada eletrostaticamente, com um revólver especial, no produto a ser pintado. Ela é usada no recobrimento de peças metálicas, como aço e alumínio, tanto para a indústria automotiva como para os chamados produtos da linha branca, como geladeiras, fogões e outros equipamentos de cozinha. Tecnologias mais recentes permitem usar este tipo de tinta até sobre madeira MDF, utilizadas na fabricação de móveis.

Gusto Fajan afirma estar feliz com o trabalho e o sucesso da fábrica do sobrinho. E garante que essa linha de pintura a pó produz menor quantidade de resíduos perigosos do que as instalações de uma fábrica de pintura convencional. Além disso, os custos de capital e de operação são inferiores ao de uma linha de pintura líquida.

Outra grande vantagem da pintura a pó é que ela permite maior gama de efeitos especiais que são impossíveis de se conseguir em pintura líquida. Um desses efeitos, bastante usados na produção de mesas e cadeiras, são aqueles que permitem dar a sensação de móveis de ferro antigos.

Fábrica Novar fica localizada no Distrito Industrial de Nova Aliança

O proprietário Matheus César Marques já pensa em ampliar a produção com a compra de nova máquina

O ex-prefeito Gusto Fajan ao lado da matéria-prima, pequenos flocos de polietileno, para a produção da tinta em pó

Ex-prefeito também atua como "garoto-propaganda" tinta produzida pela fábrica Novar

Funcionários da fábrica durante a produção da tinta em pó

Depois de moída a matéria-prima sai em uma esteira para ser triturada 

Fábrica da Novar em ação, localizada no Distrito Industrial de Nova Aliança

O químico da Novar, Jair Araújo, possui grande experiência nessa área de produção de tintas

Funcionário da Novar atento aos equipamentos, durante a produção das tintas

Funcionários trabalham observando o funcionamento correto dos equipamentos

Equipamentos para a produção da tinta em pó são de alta qualidade técnica


 .

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››