domingo, 20 de outubro de 2019

Bolivianos de Bady Bassitt dão 74% dos votos para Evo Morales


 
Dos 445 bolivianos que compareceram às urnas em Bady Bassitt, 328 votaram pela reeleição de Evo Morales
 
Dos 499 eleitores bolivianos cadastrados pela Justiça Eleitoral da Bolívia para votarem em Bady Bassitt, apenas 54 não compareceram às urnas. E os que compareceram deram 74% dos votos para reelegerem o atual presidente Evo Morales, do partido Movimento ao Socialismo (MAS), para o seu quarto mandato. Desde o começo da campanha eleitoral todos institutos de pesquisas mostravam larga vantagem de Evo Morales.

A surpresa em Bady Bassit foi que o segundo lugar nas três urnas instaladas na escola municipal Nice Beolchi Nunes Ferreira ficou para o médico e empresário sul coreano Chi Hyung Chung, do Partido Democrata Cristão (PDC). Estreante na política, Chung é fundador de 70 igrejas presbiterianas na Bolívia e fez campanha pelas redes sociais bastante parecida com a do presidente Jair Bolsonaro, criticando comunidades gays, lésbicas e transexuais.

Nas três urnas instaladas em Bady Bassitt, Evo Morales obteve 328 votos (74%) dos 445 eleitores que compareceram ali. Chung obteve 74 votos (16%). O jornalista e ex-presidente Carlos Mesa, do partido Comunidade Cristã (CC), apontado pelos institutos como o segundo favorito nas pesquisas, nas três urnas de Bady Bassitt obteve apenas 9 votos (2%).

A representante do Tribunal Eleitoral Boliviano, Gabriela Milenka Arraya Villarreal, informou que a eleição, em Bady Bassitt, transcorreu dentro da normalidade, sem o registro de nenhum incidente. A Polícia Militar de Bady Bassitt acompanhou de perto todo o período da votação, que começou às 8 h e encerrou-se às 17 h.

O presidente da Associação da Comunidade Boliviana, Mário Martins, também acompanhou todo o processo de votação e apuração dos votos na escola de Bady Bassitt. Informou que na região vivem cerca de eleitores bolivianos, a maioria trabalhando no ramo de confecções.

Ao todo foram cerca de 7 milhões de bolivianos que foram às urnas neste domingo para eleger presidente, vice-presidente, deputados e senadores. Nesta eleição pela primeira vez também serão computados votos de bolivianos em outros 33 países, incluindo 45 mil que vivem no Brasil, a grande maioria na cidade de São Paulo.

A expectativa é que os primeiros resultados parciais sejam divulgados a partir das 22 horas. A confirmação oficial tende a demorar mais do que a média dos processos eleitorais no Brasil porque a Bolívia não utiliza o sistema de urnas eletrônicas.

Eleitores bolivianos chegam para votar na escola Nice Beolchi Nunes Ferreira, em Bady Bassitt

Mesário mostra a cédula eleitoral que traz o nome e a foto de todos os nove candidatos a presidente

Inicia-se a contagem de votos na escola de Bady Bassitt

A conferência é feita por representantes da OEP e é acompanhada por bolivianos residentes em Bady Basitt

Cada cédula é revisada uma a uma por representantes da OEP, organização que acompanha as eleições bolivianas

Voto por voto é conferido e contado

Todos os votos foram contados e recontados para não haver erro

Representante da OEP coloca na lousa o resultado das eleições nas urnas de Bady Bassitt

Os votos são minuciosamente conferido pelos mesários e escrutinadores nas urnas

Representante da OEP mostra cédula por cédula para a imprensa conferir o resultado de perto

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››