sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Prefeito Janjão sofre AVC e está internado em observação no HB

Prefeito Janjão deverá permanecer internado por 72 horas em estado de observação


O prefeito de Cedral, Paulo Ricardo Beolchi de Lucas, o Janjão (PPS), sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e está internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital de Base em Rio Preto. Segundo informações do hospital, o estado de saúde dele é estável, mas permanece realizando exames.

Janjão começou a passar mal na madrugada desta quinta-feira (5). Com 58 anos, ele passou o dia de ontem sendo submetido a exames e os resultados devem sair nesta sexta-feira (6). De acordo com a assessoria, o chefe do Executivo não apresentou sinais de mal-estar nos últimos dias. O vice-prefeito de Cedral, Irineo Beolchi Junior (PPS), deve assumir a prefeitura, caso Janjão precise de mais tempo para se recuperar.

Pedido de cassação

Na quarta-feira (4), um dia antes do prefeito sentir-se mal, um morador da cidade protocolou na Câmara Municipal e no Ministério Público da Comarca pedido de abertura de Comissão Processante de Investigação (CPI) para averiguar ato de improbidade administrativa contra o prefeito. O pedido partiu de iniciativa do morador Jorge Luz Marcheti, que acusa o prefeito de contratar serviços de uma empresa fantasma.

Caso a denuncia seja aceita pelos vereadores, Janjão passa a ser investigado e poderá ter seu mandato cassado.

Segundo o morador declarou para o jornal Gazeta do Interior, existem fortes indícios de irregularidades na contratação de uma empresa para a prestação de serviços à prefeitura. Ele disse que já existe ação tramitando na Justiça que apura a contratação de empresa fantasma, em caráter emergencial, por R$ 238 mil, para execução de serviços. Além disso, segundo o morador, os valores pagos à empresa, estão acima da média de mercado.

Ação movida pelo promotor Claudio Santos de Moraes aponta que as supostas irregularidades causaram prejuízos ao município. Ele pede ao prefeito o ressarcimento de R$ 521 mil aos cofres públicos. Não foi possível falar com o prefeito para ouvir a sua versão a respeito do caso.

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››