sábado, 15 de junho de 2019

Câmara cassa mandato de prefeito de Nova Aliança

Prefeito Gusto Fajan, o ex-deputado Orlando Bolçone e o vice-prefeito Vandil Baptista Casemiro


O prefeito de Nova Aliança, Augusto Donizetti Fajan (DEM), teve o mandato cassado pela Câmara dos Vereadores na última sexta-feira, dia 14. Foram oito favor a favor e um contra o pedido de cassação por ato de improbidade administrativa em função de gastos com pessoal acima do estabelecido na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). O único vereador que votou contra a cassação foi Alexandre Scarpelli (DEM). 
De acordo com o presidente da Câmara, Vicente Fernandes Júnior (PDT), o vice-prefeito Vandil Baptista Casemiro (PDT) vai assumir o Executivo em solenidade marcada para segunda-feira, dia 17, as 20h. 
A decisão que cassou o mandato de Fajan ocorreu após sessão que demorou cerca de seis horas. O prefeito foi acusado de gastar mais de 54% da arrecadação com a folha de pessoal, o que contraria a LRF. Ele e seus advogados negam as acusações. 
Entre 2017 e no ano passado, o prefeito teria atingido 57,57% dos recursos para o pagamento do funcionalismo, de acordo com dados do Tribunal de Contas do Estado (TCE). De acordo com o presidente da Câmara, a defesa de Fajan argumentou que ele ainda não teve as contas analisadas pelo próprio Tribunal. 
Gusto Fajan, como é conhecido o prefeito, argumenta que trata-se de pura perseguição política contra a sua pessoa. “Não teve desvios de verbas e nada de grave que justificasse essa decisão”, afirmou o prefeito, esclarecendo ainda que todas as contas com fornecedores estão absolutamente em dia. A Folha do Povo apurou que os advogados do prefeito deverão recorrer da decisão na Justiça. Eles devem ingressar com mandado de segurança para tentar reconduzir Fajan ao Executivo. 

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››