terça-feira, 19 de março de 2019

Procon divulga Ranking de Reclamações 2018



Fiscal do Procon em operação de fiscalização nas empresas


A Fundação Procon de São Paulo, vinculada à Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania, com a participação de 48 Procons municipais, divulgou, na semana passada, o Ranking Estadual de 2018, que apresenta as empresas e setores mais reclamados. Também são divulgados os índices de soluções, que servem como parâmetro para os consumidores conhecerem os fornecedores mais reclamados e como eles atendem as demandas de seus clientes. Ao lado está parte do ranking estadual, que pode ser conferido, por completo, no site da Folha do Povo.

O Rancking Estadual contém os 50 fornecedores (empresas ou grupo de empresas) que mais geraram reclamações fundamentadas, ou seja, demandas de consumidores que, não solucionadas em um primeiro atendimento, geraram a abertura de processo administrativo.

Em 2018 foram registrados 741.555 atendimentos, entre consultas, orientações, atendimentos preliminares e reclamações. Deste total, 52.292 geraram reclamações fundamentadas e demandas não solucionadas, que seguiram para uma segunda etapa de conciliação, com a abertura de processo administrativo.

Destaques

A empresa TIM passou a liderar o Ranking Estadual, com um total de 2.325, dos quais 1.705 foram atendidos e 620 não foram. Em 2017 ela já estava entre as cinco empresas mais reclamadas e, em terceiro entre as empresas de telecomunicações. Em 2018 a TIM apresentou um aumento de 32,2% no número de reclamações registradas onde a maioria das reclamações está relacionada a cobranças consideradas indevidas ou abusivas.

Pelo segundo ano consecutivo o grupo Vivo/Telefônica ocupa o segundo lugar no Ranking Estadual. No entanto, houve uma redução de 44,16% no seu total de reclamações: 2.279 registros em 2018 e, 4.081 em 2017. O índice de reclamações não solucionadas também melhorou, passando de 44% em 2017 para 35% em 2018.

O terceiro lugar, com 2.264 registros, ficou com o grupo Pão de Açúcar/Extra/ pontofrio.com/casasbahia.com/Casas Bahia/Ponto Frio que, apesar de ter melhorado sua posição em relação a 2017, onde foi 1º (4.722 reclamações), apresentou uma piora no índice de solução das demandas, caindo de 77% para 64%.

Baixas soluções
Levando em consideração os dez primeiros colocados no Ranking Geral, as Lojas KD (LKD Comércio Eletrônico S/A) e a Eletropaulo / Enel despontaram como as empresas com os maiores percentuais de reclamações não atendidas, 77%.
As Lojas KD de um total de 1.317 reclamações atendeu apenas 298. Em 2017 ela sequer aparecia entre as 100 empresas mais reclamadas, com apenas 19 registros. A maioria das reclamações foi referente a problemas de não entrega dos produtos adquiridos ou não devolução dos valores pagos em caso de cancelamento da compra. Em maio/18 ela entrou com pedido de recuperação judicial, o que acabou agravando a situação dos consumidores.

O ranking é um recorte do Cadastro Estadual de Reclamações Fundamentadas que atende ao disposto no artigo 44 da Lei 8078/90 (Código de Defesa do Consumidor).








0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››