segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Theatro Municipal encerra temporada 2018 com musicais gratuitos

Inaugurado em 1911 e inspirado na Ópera Garnier de Paris, com projeto do arquiteto Ramos de Azevedo,
o Theatro Municipal de São Paulo é uma obra magnífica que merece ser visitada


O Theatro Municipal de São Paulo, instituição da Secretaria Municipal de Cultura, apresenta as séries Happy Hour e Quartas Musicais que proporcionam ao público música clássica gratuita, em três espetáculos, sempre às 18h.

Em 3 de dezembro, o Happy Hour com o Ensemble da Fundação Theatro Municipal, formado pelo flautistaMarcos Kiehl, pelo violinista Alex Ximenes e pelo violista Otávio Nicolai executa, no Saguão do Theatro Municipal, Trio-sonata em ré menor, de George P. Telemann, Divertimento nº 1, de Joseph Haydn, Zinha, de Patápio Silva, e Tico-tico, de Zequinha de Abreu. Na semana seguinte, dia 10, as pianistas Giovanna Lobo Rodrigues e Julia Ribeiro da Cruz se debruçam sobre as peças Prelúdio e Fuga n° 2 em dó menor BWV 847Concerto Italiano em fá maior BWV 971, de Johann Sebastian Bach, Noturno nº 20 em dó sustenido menor op. póstumo, de Frédéric Chopin, e Sonata em fá menor op. 2 n°1 e Intermezzo em lá maior op. 118 nº 2, de Johannes Brahms.

Já a série Quartas Musicais traz para o Salão Nobre, em 12 de dezembro, a Orquestra Sinfônica Infantojuvenil da Escola Municipal de Música, com a regência de Daniel Cornejo, para apresentar Concerto para flauta e orquestra, de Edmundo Villani-Côrtes com o flautista Daniel Lopes Soares; Concerto nº 1 para violoncelo e orquestra, de Joseph Haydn, com o violoncelista Rafael Lima de Andrade, Concerto em mi bemol para trompete e orquestra, também de Haydn, acompanhada pelo trompetista Ian Thomas Barbosa de Azevedo. Para encerrar o espetáculo, Fanfarra para um homem comum, de Aaron Copland, e Sinfonietta Prima, de Ernani Aguiar.

A retirada dos ingressos para as séries Happy Hour e Quartas Musicais deve ser feita uma hora antes do início das apresentações na bilheteria do Theatro. Os músicos que se apresentam nas séries fazem parte da Escola de Música do Theatro Municipal de São Paulo e da Orquestra Experimental de Repertório, que pertencem à Fundação Theatro Municipal de São Paulo.

Diretoria de Formação
Todas essas séries são organizadas pela Diretoria de Formação da Fundação Theatro Municipal de São Paulo. O objetivo é articular e promover a interação das atividades artístico-pedagógicas e administrativas dos setores que a compõem: a Escola de Música do Theatro Municipal de São Paulo, a Escola de Dança do Theatro Municipal de São Paulo e a Orquestra Experimental de Repertório.

A Diretoria de Formação também trabalha de forma constante em prol do estabelecimento de intercâmbio de suas escolas, grupos e alunos, com as atividades artísticas profissionais no Theatro Municipal de São Paulo, além de outras instituições educacionais e culturais, por meio da participação dos grupos artísticos em apresentações, produções, ensaios e masterclasses.

Serviço
Happy Hour no Theatro Municipal
Local: Theatro Municipal de São Paulo – Saguão
Capacidade: 80 lugares
Ingressos: Grátis. Retirada de ingressos na bilheteria com uma hora de antecedência.
*Não será permitida a entrada após o início da apresentação

Ensemble FTM
Marcos Kiehl – flauta
Alex Ximenes – violino
Otávio Nicolai – viola

Trio-sonata em ré menor | G. P. Telemann
Divertimento nº 1 | J. Haydn
Zinha | P. Silva
Tico-tico | Z. de Abreu

Data: Segunda-feira, 3/12, 18h.
Duração: aprox. 60 min.
Classificação Indicativa: Livre (recomendado para maiores de 7 anos)

Recital de Piano
Giovanna Lobo Rodrigues e Julia Ribeiro da Cruz - piano
Prelúdio e Fuga n° 2 em dó menor BWV 847 | J. S. Bach
Concerto Italiano em fá maior BWV 971 | J. S. Bach
Noturno nº 20 em dó sustenido menor op. póstumo | F. Chopin
Sonata em fá menor op. 2 n°1 | J. Brahms
Intermezzo em lá maior op. 118 nº 2 | J. Brahms
Data: Segunda-feira, 10/12, 18h.
Duração: aprox. 60 min.
Classificação Indicativa: Livre (recomendado para maiores de 7 anos)

Quartas Musicais no Theatro Municipal
Local: Theatro Municipal de São Paulo – Salão Nobre
Capacidade: 200 lugares
Ingressos: Grátis. Retirada de ingressos na bilheteria com uma hora de antecedência.
*Não será permitida a entrada após o início da apresentação

Orquestra Sinfônica Infantojuvenil da Escola Municipal de Música
Daniel Cornejo - regente
Daniel Lopes Soares - flauta
Rafael Lima de Andrade - violoncelo

Concerto para flauta e orquestra - Mov. I e II | E. Villani-Côrtes
Solista - Daniel Lopes Soares

Concerto nº 1 para violoncelo e orquestra - Mov. I | J. Haydn
Solista - Rafael Lima de Andrade

Concerto em Mi bemol para trompete e orquestra - Mov. I | J. Haydn
Solista - Ian Thomas Barbosa de Azevedo

Fanfarra para um homem comum | A. Copland
Sinfonietta Prima | E. Aguiar
Data: Quarta-feira, 12/12, 18h.
Duração: aprox. 60 min.
Classificação Indicativa: Livre (recomendado para maiores de 7 anos)

Theatro Municipal de São Paulo
O Theatro Municipal de São Paulo faz parte da Secretaria Municipal de Cultura. Em 27 de maio de 2011, o Theatro Municipal de São Paulo foi transformado de departamento da Secretaria Municipal de Cultura em Fundação de direito público, com um corpo artístico formado pela Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Coro Lírico Municipal de São Paulo, Balé da Cidade de São Paulo, Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, Coral Paulistano, Orquestra Experimental de Repertório, Escola Música do Theatro Municipal de São Paulo e pela Escola de Dança do Theatro Municipal de São Paulo, tendo como espaços o Theatro Municipal, a Central Técnica do Theatro Municipal e a Praça das Artes.

Inaugurado em 12 de setembro de 1911, o edifício inspirado na Ópera Garnier, em Paris, tem a assinatura do arquiteto Ramos de Azevedo e projeto interno dos italianos Cláudio Rossi e Domiziano Rossi. Além de receber grandes nomes mundiais da música e da dança como Enrico Caruso, Maria Callas, Francisco Mignoni, Duke Ellington, Ella Fitzgerald, Isadora Duncan, Nijinsky, Nureyev e Baryshnikov; o Theatro também foi cenário de um dos principais eventos da história das artes no Brasil, a Semana de Arte Moderna.

Nos quase 107 anos do Theatro Municipal, três grandes reformas marcaram as mudanças e renovações do prédio: a primeira delas, em 1954, criou novos pavimentos para ampliar os camarins, reduziu os camarotes e instalou o órgão G. Tamburini; a segunda, de 1986 a 1991, e para celebrar o centenário, a terceira reforma, mais complexa que as anteriores, restaurou o edifício e modernizou o palco.

Instituto Odeon
O Instituto Odeon é o gestor do Theatro Municipal de São Paulo. Com mais de 20 anos de atuação na área da cultura, o Instituto se destaca pela gestão do Museu de Arte do Rio – MAR, no Rio de Janeiro, além de consultorias ao Governo do Pernambuco e Prefeitura de Porto Alegre, produção de espetáculos de teatro e idealização e gestão de diversos projetos socioculturais. 

A instituição assumiu em 1º de setembro a gestão do corpo artístico formado pela Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Coro Lírico Municipal de São Paulo, Balé da Cidade de São Paulo, Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, Coral Paulistano Mário de Andrade e Orquestra Experimental de Repertório e dos espaços Theatro Municipal, Central Técnica do Theatro Municipal e Praça das Artes.









0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››