quinta-feira, 15 de novembro de 2018

TCE pede explicações sobre repasse de R$ 702,2 mil em Bady Bassitt

Sede do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo para onde a Prefeitura de Bady Bassitt deve encaminhar sua defesa


O Tribunal de Contas do Estado (TCE) está notificando a Prefeitura de Bady Bassitt e os responsáveis pelo Instituto Sorrindo para a Vida para, dentro dos próximos 30 dias, apresentar justificativas com relação aos apontamentos sobre os repasses de R$ 198,3 mil e de R$ 402,9 mil realizados em 2011 e 2010, na gestão do ex-prefeito Edmur Pradela, morto há dois meses, vítima de enfarto fulminante.

Os auditores fiscais do TCE querem saber o número de pessoas beneficiadas com o atendimento, comprovantes de despesas, se existiu lei autorizando a realização do convênio e quais foram os critérios para a escolha e contratação da empresa. Além disso, os auditores também querem que a prefeitura e a empresa contratada mostre quadro comparativo entre os preços praticados nas compras e contratações de serviços, bem como as cotações prévias de preços realizadas.

O tribunal quer saber ainda sobre as metas previstas e o trabalho realizado, bem como os critérios adotados pela entidade para selecionar o pessoal eventualmente contratado, custeado com os recursos do repasse. Pediu também cópias do estatuto da entidade registrado em cartório e advertiu que, na ausência de notícias, o processo irá a julgamento no estado em que se encontra, podendo ainda ensejar aplicação de multas e impedir a contratação com órgãos públicos.

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››