terça-feira, 25 de setembro de 2018

Saiba quem são os principais doadores das campanhas dos candidatos



O portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) oferece, desde o último dia 19, informações com estatísticas consolidadas sobre a prestação de contas de candidatos e partidos políticos relativas às eleições do dia 7 de outubro deste ano. O diferencial das eleições deste ano é que estão proibidas as doações por parte de bancos, construtoras e empresas públicas ou privadas. Doações agora são somente de pessoas físicas ou do Fundo Partidário, que somam mais de R$ 9,2 bilhões.

A maior parte das doações de quase todos os principais candidatos a presidente e a governador vem do Fundo Partidário. O site do TSE mostra que no ranking dos maiores doadores figura o empresário Rubens Ometto Silveira Neto, presidente do Grupo Cosan, da Comgas, da Rumo e um dos maiores acionistas da ALL – América Latina Logística. Sozinho ele doou R$ 6,6 milhões para 58 candidatos que vão desde candidatos do PT, como Arlindo Chinaglia a candidatos do PSDB, como o rio-pretense José Carlos Vaz de Lima e ao ex-prefeito de Olímpia, Geninho Zuliani, do DEM.

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), até o fechamento desta edição, tinha recebido mais de R$ 100 mil em doações. Entre os doadores, além dos donos da rede de restaurante Coco Bambu, Meyer Nigri, da Tecnisa, está engenheiro o Takashi Nishimura, do Instituto Movement, que lidera as doações com R$ 30 mil. O candidato do PSDB, Geraldo Alkmin, registrava R$ 198 em doações de pessoas físicas. O maior doador era Jorge Nishimura, presidente da Jacto, fabricante de implementos agrícolas, que a exemplo da celebridade Maria Fernanda Grecco Meneghel, doou R$ 50 mil para a campanha do tucano. O ex-deputado federal Júlio Semeghini, ex-secretário de Planejamento do Governo paulista, doou R$ 6 mil.

A candidata Marina Silva (Rede) recebeu doações de Gisela e Marina Moreau, historiadoras e ativistas políticas, que doaram respectivamente R$ 212 mil e R$ 100 mil à campanha da candidata. Na lista de doações do candidato Fernando Haddad (PT) aparece R$ 21,7 milhões, sendo que apenas R$ 23 mil desse montante são oriundos de pessoas físicas. Entre os doadores estão o advogado tributarista Robson Sakiyama Barreirinhas, que doou R$ 5 mil, o militante José Fidelis Augusto Sarno e Armando Ramos Tripodi, investigado pela Operação Lava-Jato, que doaram R$ 4 mil cada.

O candidato Ciro Gomes (PDT) declarou ter recebido R$ 20 milhões em doações. Sendo que a única doação de pessoa física, R$ 25 mil, até o momento, é do seu irmão Cid Gomes, candidato ao Senado pelo PDT no Ceará.

João Dória, candidato a governador em São Paulo pelo PSDB, declarou ter recebido R$ 7,8 milhões em doações, dos quais R$ 2,5 milhões são de pessoas físicas. A maior doadora é a Neide Ugolini de Moraes, esposa de Antônio Ermírio de Moraes, com R$ 600 mil. Também aparecem na lista os empresários Abílio Diniz, com 250 mil, Abram Szajman, com R$ 250 mil, e o empresário rio-pretense Waldemar Verdi Junior, do grupo Rodobens, com R$ 100 mil. Outros R$ 700 mil foram doados por integrantes da família Salomone, do imigrante italiano Hugo, fundador do grupo Savoy, dono do Shopping Aricanduva, o maior da América Latina, de 1.731 edifícios, dos quais sete posicionados na avenida Paulista, avaliados em  1 bilhão de reais.

Paulo Skaf (MDB) declarou à Justiça Eleitoral ter recebido R$ 9,5 milhões em doações, dos quais R$ 8 milhões vieram do Fundo Partidário. Entre os maiores doadores estão Marcos Marinho Lutz, vice-presidente do Grupo Cosan com R$ 150 mil, Lisiane Gurgel Rocha, das Lojas Riachuelo, com R$ 100 mil e Márcio Lutfalla, sobrinho do ex-governador Paulo Maluf que responde a 28 processos na Justiça, doou R$ 100 mil à campanha do peemedebista.   Curiosamente o presidente da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomércio) e dono da Vale refeições, Abram Szjmam, que doou R$ 250 mil para a campanha de Dória, também aparece como doador para Skaf, com R$ 100 mil. Franklin Shinjuro Nishimura, vice-presidente do Grupo Jacto, doou R$ 40 mil. 

Até o fechamento desta edição, Márcio França, do PSB, ainda não tinha disponibilizado os doadores de sua campanha.

Para ter acesso as informações, basta acessar o link abaixo:
http://divulgacandcontas.tse.jus.br/divulga/#/


0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››