segunda-feira, 30 de julho de 2018

Prefeito acompanha início de recuperação de vicinais que dão acesso a Bady e Potirendaba

 A conservação das estradas rurais visa evitar erosões e assoreamento de rios e mananciais; recuperação do trecho cria rota alternativa à BR-153, em casos extraordinários

O prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo, esteve na manhã desta segunda-feira (30) na estrada SJR-160, que liga a Vila Azul à Mata dos Macacos, e esta à SJR - 014 (antiga BR), que liga a Mata a Bady Bassitt. Ele foi conferir o início da recuperação dessas vicinais, estradas rurais chave na ligação de Rio Preto às cidades da região.

“Esta obra é uma mobilização da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento com o governo do Estado de São Paulo por meio da Codasp[Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo]. Vai contemplar importantes setores da sociedade, facilitando a saída da produção local e o trânsito das pessoas que passam por essa região”, avaliou o prefeito.

Ao todo, serão recuperados 6 quilômetros de vias contempladas pelo Programa Melhor Caminho, cuja finalidade é conservar as estradas rurais, evitando a erosão e, consequentemente, o assoreamento de rios e mananciais. O valor total do projeto a cargo da Codasp é de R$ 767.830, acrescido de até 15% em contrapartida do município.

“O que estraga a estrada é a drenagem ineficiente. O foco do nosso trabalho é a adequação de estrada, com ênfase na preservação de solo e destinação de água. Vamos trabalhar na contenção de águas, tirando da estrada e armazenando nas propriedades, e garantir um bom revestimento da pista. A partir dessa obra, com a manutenção adequada, temos uma estrada em ótimas condições para os próximos dez anos”, explica o engenheiro da Codasp, Thadeu Carrijo Benedetti.

Em relação às contrapartidas, o secretário de Agricultura e Abastecimento, Antônio Pedro Pezzuto Jr., explica que “o município é responsável por toda a logística dos trabalhadores envolvidos: hospedagem, alimentação e transporte; pela retirada e recolocação da cerca ao longo das estradas; pela negociação junto aos proprietários da região e também pelo projeto técnico-ambiental”.

As obras deverão envolver 15 trabalhadores e essa mesma quantidade de máquinas. A previsão é que sejam concluídas até outubro.





0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››