quinta-feira, 5 de abril de 2018

Jornalistas são homenageados pela LBV


 
Ze Gatão e Nelson Gonçalves recebem homenagem dos alunos da LBV
A Legião da Boa Vontade (LBV) recebeu nesta quinta-feira (5), em seu Centro Comunitário de Assistência Social, no Jardim Canaã, em São José do Rio Preto, os diretores dos jornais Folha do Povo e Folha do Interior. José Maria Vieira, conhecido como Zé Gatão, que é radialista, apresentador de televisão e diretor da Folha do Interior, gravou um vídeo junto com o jornalista Nelson Gonçalves, diretor da Folha do Povo, com mensagem de incentivo aos estudos, dirigida para os meninos e meninas da entidade.
Zé Gatão disse que estava muito feliz em poder retornar à LBV, ressaltando que conhece o trabalho desenvolvido há mais de 60 anos pela instituição fundada por Alziro Zarur e hoje dirigida pelo também jornalista Paiva Neto. Nelson Gonçalves destacou o trabalho feito pelos jornalistas e pela imprensa de maneira geral, registrando os fatos que acontecem no dia a dia. E pediu para os meninos e meninas estudarem bastante e principalmente o passado. “Quem não conhece a história, dificilmente saberá planejar no presente o seu futuro”, afirmou.
Durante a visita, Luiza Ribeiro, assessora de Comunicação da LBV, pediu para que os alunos fizessem uma apresentação musical e entregassem aos jornalistas um quadro comemorativo ao Dia do Jornalista, a ser comemorado no Dia 7 de Abril.
Dia 7 de junho
O Dia do Jornalista, comemorado em 7 de abril, foi instituído em 1931, por decisão da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), como homenagem ao médico e jornalista Giovanni Battista Líbero Badaró, morto por inimigos políticos em 1830.

Líbero Badaró, como era mais conhecido, era um oposicionista ao imperador D. Pedro I e foi o criador do Observatório Constitucional, jornal independente que focava em temas políticos até então censurados ou encobertos pelo monarca. Badaró era defensor da liberdade de imprensa e morreu em virtude de suas denúncias e de sua ideologia que contrariava os homens do poder.

A morte de Badaró alimentou ainda mais a crise que começava a se instaurar no império de D. Pedro I. A revolta de populares e políticos que eram contra a repressão do monarca tornaram sua permanência no poder cada vez mais perigosa, uma vez que atos violentos estavam acontecendo frequentemente. Esse foi um dos fatores que levaram à renúncia de D. Pedro em 7 de abril de 1831..




0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››