segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Rotary pede para promover a inspiração no Mundo

 O presidente eleito do Rotary International, Barry Rassin, homenageia o presidente eleito do Rotary International, Sam Owori, que faleceu inesperadamente no ano passado devido a complicações decorrentes de uma cirurgia

O presidente eleito do Rotary International, Barry Rassin, que assumirá o cargo somente em julho deste ano, apresentou na abertura da Assembleia Internacional da organização mundial, em San Diego, Califórnia, Estados Unidos, o lema rotário que servirá de motivação para a próxima gestão rotária, 2018-2019, durante os 12 meses. “Seja a Inspiração” é o lema que substituirá o atual lema, “O Rotary faz a Diferença”, apresentado para 534 Governadores Eleitos do Rotary International, presentes no evento de treinamento e capacitação,  que acontece de 14 a 20 de janeiro, nas dependências do Manchester Grand Hyatt.

“Peço-lhes que sejam a inspiração para seus países e comunidades”, disse o futuro líder mundial. “Que estejamos mais fortes para tomarmos medidas que criem mudanças duradouras na comunidade”, reforçou o dirigente.

De acordo com o delegado de polícia, João Evangelista Pereira, associado do Rotary Club de Lucélia, Governador Eleito do Distrito 4510 do Rotary International, na região centro oeste do interior do Estado de São Paulo, o anúncio foi feito em um ambiente de grande ansiedade e expectativa. “Este ano o anúncio foi feito na abertura”, ressaltou o dirigente brasileiro ao lembrar que normalmente era feito na primeira sessão plenária da segunda-feira. “O Presidente Eleito Barry Rassin foi muito feliz nas argumentações, nas explicações e objetivos do lema que servirão de diretrizes para o nosso trabalho”, comentou ao destacar as cores, e o desenho das ondas junto ao lema rotário da próxima gestão.

Barry Rassin é associado do Rotary Club de Nassau-Leste, nas Bahamas, e durante a explicação que fez, procurou inspirar os novos líderes rotários. “Eu quero que vocês inspirem os rotarianos dos clubes a almejarem o sucesso, a quererem ser mais e irem mais longe”, falou. “Sejam a motivação que instiga os outros a superarem os próprios limites”, completou. “Juntos, vemos um mundo onde as pessoas se unem e entram em ação para causarem mudanças duradouras em si mesmas, nas comunidades e no mundo todo”, afirmou ao acreditar que essa declaração descreve o Rotary que seus líderes precisam construir.

Para tornar essa visão em realidade, o presidente eleito falou que os rotarianos precisam cuidar do Rotary: “Nós somos, acima de tudo, uma organização de associados. Se queremos servir, se queremos atingir nossas metas, precisamos, primeiramente, cuidar muito bem dos nossos associados”, defendeu ao pedir aos novos governadores que inspirassem “os rotarianos dos distritos a desejarem promover mudanças, a desejarem fazer mais, a desejarem desenvolver o próprio potencial ao máximo”. Disse ele: “Vocês têm a responsabilidade de incentivá-los, de ajudá-los a progredir”, enfatizou.

Sustentabilidade


Nos últimos anos o Rotary tem enfocado fortemente no tema da sustentabilidade nos serviços humanitários. Barry Rassin é da opinião de que todos devem se conscientizar sobre os problemas reais derivados da poluição, degradação ambiental e mudanças climáticas.
Ele observou que 80% de seu próprio país está a um metro do nível do mar. “Considerando os estudos de que o nível do mar subirá dois metros até 2100, em 50 anos meu país desaparecerá, junto com a maioria das ilhas do Caribe e cidades costeiras”, disse ele apontando a direção dos trabalhos da próxima gestão.



Progresso na luta contra a pólio
Segundo Rassin, o trabalho do Rotary para a erradicação da pólio é uma fonte imensa de inspiração. Ele descreveu o progresso incrível alcançado nas últimas três décadas. Em 1988, cerca de 350.000 pessoas sofreram paralisia como resultado de infecção pelo vírus da pólio selvagem; em 2017, apenas 21 casos foram documentados até 10 de janeiro. "Nós estamos vivendo um momento incrivelmente empolgante na erradicação da pólio", comentou ele, "um ponto no qual cada novo caso de pólio pode vir a ser o último”.


Rassin enfatizou que mesmo após o último caso de pólio tiver sido documentado, o trabalho continuará existindo. "A paralisia infantil não estará erradicada até que o comitê responsável confirme isso. Para tanto, nenhum vírus da pólio deve ser encontrado em rios, em esgotos ou em uma criança por pelo menos de três anos", explicou ele. "Até lá, temos que continuar trabalhando exatamente como agora." Rassin é defensor das atividades de vigilância em relação ao vírus da pólio e da imunização contra doenças.

Novo lema para o ano rotário 2018-2019: "Seja a inspiração"

O presidente eleito do Rotary International Barry Rassin e sua esposa, Esther

A bateria das Bahamas une os participantes como uma língua universal na noite de abertura da Assembleia Internacional do Rotary em San Diego, EUA, no domingo.

O presidente do Rotary International, o australiano Ian Riseley, parabeniza os próximos governadores de distritos rotários na Assembleia Internacional do Rotary em San Diego, EUA, no domingo.

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››