sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Empresa de Bady recupera de mais de 30 t de óleo usado

Diretores da empresa em Bady Bassitt explicam como é o processo de transformação com o óleo usado

Para evitar que o óleo de cozinha usado seja lançado na rede de esgoto,  cidades, instituições e pessoas de todo o mundo têm criado métodos para reciclar o produto. As possibilidades são muitas: produção de resina para tintas, sabão, detergente, glicerina, massa de vidro, fertilizantes para a agricultura, ração para animais e até biodiesel.

A primeira medida a ser tomada é armazenar, geralmente em uma garrafa pet de refrigerante vazia, as sobras da fritura em vez de jogar no ralo da pia, no vaso sanitário ou no cesto de lixo. É desaconselhável o uso de recipientes de vidro para o armazenamento, pois podem quebrar e além de fazer sujeira pode causar acidentes.

O segundo passo é encaminhar as garrafas com óleo usado para uma destinação adequada. E é aí que entram os clubes do Rotary e outras organizações que se preocupam e colaboram com a preservação do meio ambiente.

Algumas instituições, como o Rotary Clube de Uchoa, já realizam o recolhimento de óleo de cozinha usado faz muito tempo.  Os rotarianos do clube de Uchoa se revezam nas feiras livres da cidade para recolher as garrafas com óleo usado. Para cada quatro litros eles dão um litro novo de óleo de soja. “É uma boa troca para quem está doando o óleo usado, que ia para o lixo ou para o esgoto”, afirma o presidente do Rotary Clube de Uchoa, Donizete dos Santos.

O óleo usado é vendido para uma empresa processadora de Bady Bassitt.  “Transformamos o óleo usado em geração de renda para o nosso clube praticar ações sociais que beneficiam a população”, explica Donizete.
“O óleo de cozinha, embora muitas pessoas desconhecem, são grandes causadores de danos ao meio ambiente quando descartáveis de maneira incorreta”, acrescenta a governadora do Distrito 4480 do Rotary, Cristina Noceti Lopes, que esteve recentemente visitando o sistema de processamento da empresa em Bady Bassitt. Ela disse que vai incentivar os clubes a desenvolverem campanhas para o recolhimento e destinação adequada do óleo usado de cozinha.

O óleo de cozinha usado, quando jogado diretamente no ralo da pia  danifica o encanamento, polui córregos, rios e o subsolo. Interfere na passagem de luz na água, retarda o crescimento vegetal e o fluxo da água, além de impedir a transferência do oxigênio para a água, ocasionando a mortandade dos peixes.

Estimativas indicam que um litro de óleo de cozinha usado pode poluir cerca de um milhão de litros de água. E essa poluição faz encarecer o tratamento da água em até 45%, além de agravar o efeito estufa, já que o contato da água poluída pelo óleo, ao desembocar no mar, gera uma reação química que libera gás metano, um componente muito mais agressivo que o gás carbono.

Em Bady Bassitt funciona, a cerca de 20 anos, a JR Óleos, uma empresa que processa mais de 30 toneladas de óleo usado mensalmente. O diretor da empresa Acácio Câmara informa  que a transformação do óleo de cozinha usado em energia renovável começa pela filtragem, que é feita com o aquecimento do produto numa temperatura de mais de 80 graus para retirar todo o resíduo deixado pelas frituras.


Depois é removida toda a água misturada ao óleo, que passará ainda por uma purificação química para filtrar os últimos resíduos. O produto é então encaminhado para as usinas de biodiesel onde serão adicionados álcool e substâncias catalisadoras para ingresso num reator com temperaturas especificas para se transformar em biocombustíveis.

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››