domingo, 1 de janeiro de 2017

Ni Baiano assume pela terceira vez Prefeitura de Sales e mostra preocupação com queda da receita



O prefeito Genivaldo Chaves Brito, o popular Ni Baiano (DEM), assume pela terceira vez a Prefeitura de Sales. Em seu discurso de posse ele agradeceu a Deus, aos familiares, citando a esposa, as filhas, seu pai e até a sua empregada doméstica, dona Cida, que há 22 anos trabalha em sua residência. “Podem ter a certeza que da mesma maneira que a população me recebeu em suas casas de maneira carinhosa, as portas da prefeitura também estarão sempre abertas para todos porque nós somos empregados da população”, disse.

“Quero agradecer a todos os candidatos a vereador, os eleitos e não eleitos, por quem tenho e terei respeito muito grande”, afirmou, acrescentando que não poderia deixar de agradecer a sua equipe de campanha, coordenada por Edissel Dori. “Vocês fizeram a diferença para estarmos hoje aqui”.
Ni Baiano disse que irá precisar muito dos vereadores. “Nós precisamos muito da Câmara dos Vereadores porque câmara e o prefeito tem que trabalhar lado a lado”, afirmou. “Não adianta quebra de braço. Vamos precisar de muito apoio. Também já fui vereador e sempre procurei colaborar com o prefeito”. Ele pediu ainda ajuda para que os vereadores procurem os deputados a quem deram apoio para buscar emendas parlamentares para o município.

“Não somos perfeitos”, disse. “Vamos procurar errar o menos possível. Muitas coisas que fizemos no passado, serviu de experiência, de aprendizado para errarmos o menos possível. Deixamos em 2012 o caixa da prefeitura  sem dívidas. Falaram-se muito que nossa administração tinha deixado dívidas. A divida  de mais de um milhão que se encontra hoje no Iprem (Instituto de Previdência do Município) não é da nossa administração. Muito pelo contrário: nós pagamos rigorosamente o Iprem.  A nossa frota de veículos está bastante sucateada. Nosso município é turístico e deve ter recebido nesta virada do ano de 3 a 4 mil turistas e só tem uma ambulância funcionando”.

O prefeito pediu paciência. Muita paciência. Disse que era sua intenção colocar condução para levar trabalhadores de Sales que trabalham nos frigorifico de José Bonifacio e Nova Aliança. “Se tivéssemos condições colocaria, mas hoje não tem possibilidade”, adiantou. “Nós deixamos três microonibus zero e um carro oficial em perfeitas condições. Estamos sem carro oficial. Mas não tem problema não. Vou viajar a São Paulo com meu carro, pego carro emprestado, vou de carona, enfim dou um jeito”.

Preocupação
Ni Baiano mostrou preocupação com a queda da receita no município. “Dois mil e dezessete vai ser um ano difícil”, previu. “Será um ano com muita recessão econômica. O País está em crise política e econômica. A arrecadação do ICMS em nosso município caiu 0,25%. Parece insignificante, mas faz uma grande diferença no caixa. Enquanto municípios da região cresceram, o nosso caiu”. Disse que continuará investindo no turismo para que a cidade receba cada vez mais visitantes. “Podem ter a certeza de que queremos trazer mais pessoas para Sales porque o turismo gera emprego”.


E revelou que para contenção de gastos, colocará, por enquanto, em funcionamento apenas cinco secretarias municipais. “Vamos priorizar o pagamento dos funcionários e fazer parcerias com deputados para trazermos recursos do Governo do Estado e do Governo Federal para Sales. Não tenho duvida que trabalho, persistência e determinação eu tenho muito”.

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››